#copiright

17 de julho de 2010

Blind Guardian por fãs


Segue abaixo uma humilde resenha dos álbuns de estúdio da nossa fantástica banda alemã, Blind Guardian:

1988 - Battalions of Fear
Nossos bardos de Krefeld iniciam com este álbum um futuro maravilhoso e com grande contribuição para a história do metal. Muito querido entre os fãs mais "ortodoxos", "Battalions of Fear" de cara fez sucesso no underground alemão, atraindo fãs desde sua primeira apresentação na Alemanha. "Majesty", "Run for the night" e "Wizard's Crown" em especial, contém refrões envolventes tornando BOF muito especial, ficando muito evidente influências tolkienianas ao longo do desenvolvimento da banda.

1989 - Follow the Blind
O lançamento desse álbum evidencia uma evolução muito positiva da banda. Contando com um grande peso e com a primeira participação do mestre Kai Hansen (que viria a fazer mais duetos futuramente com Hansi), "Follow the Blind" contém composições riquíssimas e ótimos riffs. A ilustríssima e majestosa "Valhalla" se tornou um dos hinos dentre os bardos de todo o mundo, criando um coral espetacular nos shows e causando um clima extremamente mágico para quem presencia e para quem assiste compulsivamente em casa (o meu caso haha xD). FTB é um álbum muito apreciado pelos fãs, talvez pela agressividade e o vocal divino e rasgado de Hansi.

1990 - Tales from the Twilight World
Os anos noventa sem dúvidas foi muito promissor e memorável para o metal. Aqui, nosso quarteto alemão lança um excelente álbum, contando mais uma vez com a presença do querido Kai Hansen além do clássico "Lord of the Rings", que mais tardar ganharia uma nova versão em "The Forgotten Tales". Evidentes influências de Stephen King e Tolkien, TFTTW foi muito bem aceito na Europa, que foi quando BG tocou pela primeira vez fora de seu país de origem, indo para Áustria e Hungria. Crítica ótima, fãs satisfeitos, trabalho cumprido. Daqui em diante a banda engressa em sua jornada, a realização de um sonho para Hansi.

1992 - Somewhere far Beyond
Considerado como um divisor de águas, esse álbum sem dúvidas é um dos prediletos dentre os fãs. Contando mais uma vez com a presença fantástica de Kai Hansen, "Somewhere far Beyond" conta também com mais um clássico da banda "The Bard's Song - in The Forest". Envolvente, fantástico, criativo. Pela primeira vez na história do Blind, um de seus CDs estava no topo das paradas internacionais - nossos bardos se tornaram estrelas no Japão durante a noite. Combinação perfeita entre letra e melodia, SFB é muito especial e querido para os fãs, e também para a banda.

1995 - Imaginations from the other Side
Bom...o que dizer do Imaginations? Simplesmente perfeito, na minha humilde opinião xD. Com composições riquíssimas, os quatro de Krefeld deixam claro o estilo próprio. Influências épicas começam a surgir e se fixar no som da banda, sem contar com a criatividade exuberante nas letras. O reconhecimento foi tão positivo que, como sabemos, a maioria das faixas de IFTOS são executadas em todos os shows. Enfim, Imaginations From The Other Side é sem dúvidas um clássico da nossa querida banda alemã. Estupendo.

1996 - The Forgotten Tales
Neste divertido e harmonioso álbum, o Blind apresenta alguns covers e versões mais lentas de músicas já lançadas. Talvez a versão mais apreciada pelos fãs é a lindíssima "Lord of the Rings", que ganhou um arranjo diferente. TFT agrada a muitos, porém não é um dos preferidos. Talvez pelo fato que não ter nada de pesado, ser um álbum mais "light". xD

1998 - Nightfall in Middle-Earth
Completamente baseado em "O Silmarillion" de nosso ilustríssimo mestre amado J.R.R. Tolkien, (que Valhalla o tenha). Enfim, uma obra-prima... Este maravilhoso e espetacular álbum dos bardos de Krefeld é bastante querido e apreciado pelos fãs. Fãs de Tolkien, fãs de Blind Guardian, apreciadores de boa música e esplêndida Literatura adoram o NIME. Foi nesse álbum que o Illúvatar Hansi Kürsch decidiu largar o baixo e se dedicar inteiramente aos vocais. Encontramos aqui também mais alguns clássicos envolventes da banda, como "Into the storm", "Nightfall", "Mirror Mirror" e "Time Stands Still (At the Iron Hill)". Músicas estas que causam arrepios quando tocadas ao vivo, assim como "Valhalla", um coral imenso e empolgado invade nossos ouvidos, brados emocionantes, melodias divinas.

2002 - A Night at the Opera
Quem pensou que o Blind não poderia ficar melhor, se enganou. Está aqui mais uma prova da evolução da banda. Melodias bem trabalhadas, riqueza de detalhes, Guerra no Oriente Médio e a lenda da Guerra de Tróia traçam as características deste tão aclamado álbum (e um tanto mais pesado) de nossos bardos europeus. Também um dos preferidos na maioria dos fãs, ANATO contém a belíssima e "Punishment Divine", que tem um peso maravilhoso na intro e alguns agudos de Hansi. Sem falar na esplêndida “And Then There Was Silence”, que anteriormente foi lançada como single aumentando ainda mais a ansiedade. Uma curiosidade: nesta turnê foram conseguidos resultados satisfatórios nos Estados Unidos e no Reino Unido, lugares onde bandas de metal alemão geralmente não fazem sucesso.

2006 - At Twist in the Myth
"Once upon a time..." - Sem mais palavras para dizer xD. O "álbum da fantasia" quando se fala nas letras. Mudanças na percussão, inovação nas melodias, nos arranjos... Coros, orquestra e riffs maravilhosos constituem ATITM. Talvez seja esse o fato de não ter agradado muito aos fãs que gostam de algo mais pesado, assim como o BOF e FTB. Porém, não é possível agradar a gregos e troianos... a banda mostrou um desenvolvimento grandioso ao longo dos anos, em busca de aperfeiçoar ainda mais os CDs. Mas, particularmente, é um dos meus preferidos >.< . Blind Guardian apresentou uma maturidade imensa nesses 22 anos de estrada, e o que vem por aí será ainda melhor!

2010 - At the Edge of Time
O tão esperado álbum depois de 4 anos! Se antes os fãs estavam muito agitados, com o lançamento das samples e o lançamento da EP "A Voice in the Dark", ficaram mais ainda. Parece ser um tanto mais pesado, alguns se lembram do "Imaginations from The Other Side"... A atmosfera é de muita animação e alegria, pois este álbum poderá virar um clássico na história do Blind Guardian.
The Sacred Wheel Of Time Cannot Erase The Medieval Song!

Por fim, gostaria de agradecer aos bardos que gentilmente colaboraram comigo, me contando suas opiniões pessoais... xD
Noguera Headbanger (um dos colaboradores do blog e meu manolo querido); Lucas Barbosa; Römulo ♪♫I'm a Mystical Old Bard♪♫♪; Felipe Carvalho; Virgílio - "Vir, The One"; Mel'z No RelaxXx; Guilherme Lebowski; Dalton Scremin e é claro, ao Marlon que me concedeu esta honra de falar da minha banda preferida! >.<
Follow The Guardians!!

Comentários
3 Comentários

3 Bardos comentáram, comente!:

Irru!!!!!! ó meu nome ali!!!

Puts, até a biba de Melzinho tá na parada!!

Nem no Wikipédia se acha algo tão completo assim, mto massa..vlww!!!

Muito legal a iniciativa! BG tem sido indiscutivelmente minha banda favorita nos últimos 12 anos destes 22 e o artigo consegue passar muito bem esse sentimento único, rico em personalidade e emoção, que só pode vir de um grande fã!
Muito bom!

Postar um comentário

Faça um colaborador feliz, comente: