#copiright

24 de julho de 2010

Entrevista com Hansi Kürsch


Outra entrevista com Hansi, uma das muitas que surgiram nestes dias, mas basicamente em todas disse o mesmo: que podemos apreciar alguns detalhes interessantes de novos projetos; como os bardos foram testados para a nova turnê e do desapontamento dos fãs a cada álbum após IFTOS - de acordo com André; o impacto da saída de Thomen da banda e etc. Muito interessante para ler e muito agradável.


Entrevistador: Bem, quatro anos depois de "A Twist in The Myth" vem o novo álbum. Parece que quatro anos é o tempo que seus fãs tenham que esperar entre os álbuns. Por que tanto?
Hansi:Não é razoável para os fãs, eu sei. É um momento muito difícil, eu acho. Mas eu acho que eles têm uma certa expectativa e eles sabem que nós não queremos regredir. Portanto, precisamos de algum tempo antes, somos capazes de nos reinventar e que foi o caso de "Imaginations From The Other Side" ... Você sabe, nos voltamos para muitas coisas em dezoito meses, nós tomamos três a quatro meses para voltar à nossa vida normal e, em seguida tomamos algo como dois anos e meio para escrever canções e as tarefas de produção. Isso é mais ou menos um tempo razoável. Maiden faz o mesmo!
Entrevistador:Pela primeira vez em sua carreira, tenho lido muitos comentários de desapontamento relacionadas com "A Twist In The Myth", pois até então, todos os seus álbuns têm tido excelentes críticas e parecia que a cada nova gravação seria sua nova obra-prima...
André (vem e interrompe):Isso não é verdade! Isso é absolutamente errado! Quando lançamos "Imaginations From The Other Side", nós realmente sentimos que as pessoas ficaram chocadas porque esperavam um segundo "Somewhere Far Beyond", e não foi. Alguns disseram: "Ei, nunca mais ouvir Blind Guardian... está lento! Canções como Mordred's Song "é besteira!". Tivemos músicas lentas antes, mas desta vez foram mais extremas, e nesse momento, mais experimental. Por exemplo, uma canção como "Bright Eyes" irritou muitos fãs. E foi exatamente o mesmo com o próximo álbum Nightfall in Middle-Earth: "Oh meu Deus, todos esses caras falando, o que diabos é isso? Eu o joguei fora, não ouço essa merda. Nightfall é muito lenta. Onde está o velho Blind Guardian e aquela boa velocidade de metal? Essa é para as meninas bla bla bla...". E então, "A Night at the Opera"... o mesmo! Foi um desastre. E eles dizem: "Oh meu Deus, está muito sobrecarregado, é superproduzido, esta orquestra toda, eu não quero ouvir isso...". Você sabe, eu posso dizer-lhe histórias de cada álbum que fizemos. Cada novo álbum recebeu muitas críticas no início, e algum tempo depois tornou-se obras nas mentes do povo!(Risos). Desculpe, mas eu tenho que ir.
André sai em seguida porque tem uma outra entrevista. xD
Entrevistador: Ainda assim, muitos fãs ficaram decepcionados com "A Twist in The Myth". Sabe o motivo de alguns fãs não gostarem muito? Como analisar a sua reação?
Hansi:Bem, é menos épico, e não há dúvida sobre isso. De todos os álbuns que fizemos, "A Twis in The Myth" tem caído no caminho mais do que normalmente representa. Eu entendo que pode ter confundido algumas pessoas. Para nós é um bom álbum. Queria explorar algo diferente, artisticamente. No entanto, continuamos a gostar do álbum, e sinto que tem músicas muito fortes. E é muito importante para nós. Ainda assim, é um álbum fraco, por isso também que Thomen tinha acabado de sair do grupo, que foi desconfortável para alguns fãs. Alguns foram até nós irritados de verdade... Isso definitivamente teve um impacto também sobre o álbum.
Entrevistador: "At The Edge of Time" soa ainda mais épico e bombástico, é definitivamente mais rápido e mais pesado que os álbuns anteriores. Podemos supor que é a sua resposta para tranquilizar os fãs, ou é uma coincidência?
Hansi: Qualquer saída é sempre natural. Nós não discutimos isso nas reuiniões e não há alguém tentando justificar o que fizemos no passado. Percebemos que os fãs tinham algumas ligações com o passado durante a produção. Não muito na composição. É, realmente não foi feito de propósito. Temos de nos satisfazer em primeiro lugar. Naturalmente, queremos agradar nosso fãs e também atrair novos, mas não podemos produzir algo que não vem de nossos corações.
Entrevistador: Cada novo álbum tem suas surpresas, você pode nos dizer que coisas novas eles representam para "At The Edge Of Time"?
Hansi: Bem, a participação de uma orquestra real, definitivamente. E o que nós tentamos fazer com ele, porque não é uma banda de suporte, como uma orquestra, ou vice-versa, mas mantém o mesmo nível. Ambos têm seus padrões individuais, mas sempre em recíproca relação. Gostaria também de dizer que a abordagem oriental que usamos em "Wheel of Time" é algo que nunca fizemos antes. Entretanto, havia algo no álbum "A Night at the" Opera, mas foi diferente. O elemento folk irlandês que usamos em "Curse My Name" também é diferente e soa mais autêntico do que o que fizemos anteriormente.
Entrevistador: Qual é a sua canção favorita no álbum novo?
Hansi: Minha favorita até agora é "Wheel of Time".
Entrevistador: O DVD "Imaginations Through the Looking Glass" foi absolutamente incrível. Gostaria de fazer um novo no futuro?
Hansi: É demasiado cedo para um novo DVD, eu acho. Será necessário para o projeto orquestral. Ainda estou trabalhando nele, você deve ter ouvido falar sobre isso...
Entrevistador: Sim! É uma das minhas perguntas. Assim, com este álbum há sinfônica? Vocês têm trabalhado com isso há anos...
Hansi: Bem, nós não o abandonamos ou esquecemos. Nós já gravamos alguma coisa, mas ainda temos algumas gravações a mais para fazer... E eu tenho que gravar todas as vozes. Já tratamos de três canções musicalmente, até o momento. Quando toda a gravação estiver concluída, nós esperamos ser capazes de lançar em 2012, mais tardar no início de 2013. Assim, faz todo o sentido organizar um festival como fizemos há alguns anos atrás... E para a ocasião, um DVD é definitivamente possível.
Entrevistador: O álbum será lançado como um álbum sinfônico do Blind Guardian?
Hansi: Isso ainda está em aberto. Não sob o nome "Blind Guardian", eu prefiso pensar (como a primeira parte do álbum a banda não vai estar envolvida, exceto eu). Portanto, vai haver elementos heavys. Então, talvez venhamos a lançar sob o nome Blind Guardian, mas neste momento, acho que vamos escolher um nome diferente.
Entrevistador: O baterista da banda em primeiro lugar, Thomen, permaneceu desde a sua criação, antes que ele deixou a banda há alguns anos. Como isso afetou a você pessoalmente e musicalmente falando? Não foi muito difícil para Frederik Ehmke tomar o lugar? Você está ainda mantém contato com Thomen até hoje?
Hansi: Emocionalmente, é algo que nos magoa. Ele destacou a fragilidade de todo o grupo, porque você nunca espera que alguém saia. Não havia nenhuma de nossas mãos... Foi apenas o fato de que não poderia trabalhar mais conosco. Nós ainda temos uma boa amizade. Eu acho que ele percebeu que deixou a banda muito rapidamente... Mas é tarde demais. A escrita de "A Twist in The Myth" foi feita após a saída de Thomen, por isso o álbum não seria muito diferente se não tivesse ido... Quanto à Frederik, uma coisa boa é que ele nunca tentou copiar ou substituir Thomen. Sua identidade se encaixa muito bem com a banda, e agora ele é definitivamente o quarto membro do Blind Guardian.
Entrevistador: Quando Frederik se juntou à banda, o álbum anterior já havia sido feito. A sua participação (Fred) neste novo álbum foi mais importante?
Hansi: Sim, e também trouxe algum material. A escrita do álbum foi feito por André e eu, completamente. Mas ele trouxe algo escrito... Às vezes nós (André e eu) temos alguns padrões rítmicos de algumas canções em nossas mentes, mas a maioria vem com suas próprias idéias.
Entrevistador: Estão planejando muitas excursões para "At the Edge of Time"? Quantas músicas do novo álbum será parte do setlist?
Hansi: Começamos a turnê em Setembro, estaremos em Paris no final do mês... Infelizmente, é a única data na França, mas até agora não haverá mais turnês em 2011, então vamos ver como as coisas evoluem. Estaremos em turnê até o final do próximo ano em todo o continente. E nós vamos jogar um monte de músicas, com certeza. Testamos quatro músicas até o momento: "Wheel of Time", "Sacred Worlds" ... Também "Tanelorn" e "A Voice in The Dark", e todas funcionaram muito bem. Também testaremos a quinta canção, provavelmente mais pesada, é preciso pensar sobre isso... E então vamos jogar três ou quatro canções cada noite.
Entrevistador: Existe um outro projeto paralelo? Algum novo álbum do Demons & Wizards?
Hansi: Discutimos esta questão duas vezes. Mas temos sempre a adiá-lo por causa do tempo. Acho que você terá um novo álbum do Demons & Wizards, mas não posso dizer quando. Jon (Schaffer, líder do Iced Earth) está trabalhando em seu novo projeto Sons of Liberty no momento, e eu estou envolvido com o Blind Guardian, mas ainda há um projeto... Talvez em 2012 ou 2013...
Entrevistador: Ronnie James Dio morreu recentemente. Lembro-me de uma vez gravou uma versão de "Don't Talk to Strangers". Como essa notícia o afetou?
Hansi: Mais do que eu pensava. Todos nós sabíamos que ela tinha câncer e que é a triste realidade, espera-se algo como isso acontecer quando você tem a doença... Ainda assim, senti-me muito chocado. O que posso dizer? Ele era o mestre, ele era o vocalista, foi algo verdadeiramente original, todos sentem isso... E toda a sua carreira foi realmente incrível!
Entrevistador: Uma última palavra?
Hansi: Obrigado a todos os fãs por sua paciência! Espero que vocês gostem do novo álbum. Desfrute bastante dele, e venha nos ver no final de setembro!

Bom...é isso ae galera, espero que gostem xD
Ah sim... Hansi, VENHA NOS VER TAMBÉM, POR FAVOR!
Follow The Guardians!

Comentários
0 Comentários

0 Bardos comentáram, comente!:

Postar um comentário

Faça um colaborador feliz, comente: