The Guardian

#copiright

2 de junho de 2017

Nightfall in Middle-Earth: Traduções do álbum comentadas

     Para alguns, o ápice do Blind Guardian; para outros, o álbum de maior sucesso do power metal. Mas, de forma unânime, concordamos que o álbum Nightfall in Middle-Earth é um dos melhores trabalhos da banda - definir o melhor se torna tarefa difícil - e, sem dúvida alguma, um dos maiores representantes do gênero power metal. Não é de se espantar que o álbum tenha vendido mais de 300.000 cópias em todo o mundo e solidificado a banda no cenário mundial, o que possibilitou as primeiras turnês em países como o México, Brasil e Argentina.
     Agora, quase 20 anos após o lançamento dessa obra-prima, ainda admiramos esse grande álbum conceitual que é o NiME, sempre relendo as canções e descobrindo novos detalhes compostos pela banda em cada faixa do álbum. Nenhuma canção foi descuidada, todas são bem elaboradas, tanto em questão da escrita das letras, como a sonoridade empregada pelos músicos. Como não me canso de dizer, o NiME não foi feito para ser ouvido, desgustado e digerido; mas sim, para ser ouvido, apreciado, degustado, estudado, apreciado novamente, estudado mais uma vez e apreciado várias e várias vezes.

     É através desta forma de raciocinar que o bardo e mega fã Murilo Fugikava resolveu traduzir e comentar as letras das canções do Nightfall in Middle-Earth. O trabalho que ele faz no seu canal no YouTube, o Inglês Informal, não é de apenas repassar a letra e contar uma história, ele tem todo o empenho de contextualizar a canção, explicar os pormenores empregados na letra e associar com as canções anteriores. Uma ótima homenagem do Murilo ao trabalho do Blind Guardian e, também, a grande obra de literatura The Silmarillion (J.R.R.Tolkien) de onde advém toda a inspiração para o álbum.


O que mudou do Nightfall in Middle-Earth para cá?


     A banda não só amadureceu musicalmente, se elevando como uma das maiores bandas alemãs, como também reformulou seu trabalho e passou a adotar outra sonoridade - a banda já vinha passando por transição desde o álbum anterior (Imaginations From The Other Side) quando o Speed Metal ia sendo deixado aos poucos.
     A formação também sofreu mudanças, como a saída definitiva de Hansi Kürsch do baixo para ceder este trabalho a Oliver Holzwarth, que contribuiu com a banda como músico convidado até 2011.

Afinal, do que trata este álbum?


     O Nightfall in Middle-Earth é um álbum conceitual, ou seja, é um álbum de estúdio onde todas ideias musicais e líricas contribuem para tema geral único ou uma história unificada. Sendo o tema geral do álbum a história contada no clássico The Silmarillion  do célebre autor britânico J. R. R. Tolkien.


     O livro The Silmarillion conta a origem da Terra Média e os eventos que antecendem os fatos narrados nos livros O Hobbit e O Senhor dos Anéis. O livro está dividido em 5 partes: Ainulindalë (A Música dos Ainur), Valaquenta (O Relato dos Valar), Quenta Silmarillion (A História das Silmarils), Akallabêth (A Queda de Númenor) e, por fim, Dos Anéis do Poder e da Terceira Era que encerra The Silmarillion, mas, abre espaço para novas histórias nos livros sucessores. 
"A narrativa parte desde a ordenação do mundo pelos Valar e os Maiar, a exceção de Melkor/Morgoth, que tenta destruir a criação dos outros Valar, até a origem de elfos, homens, anões e até mesmo de criaturas sombrias, como balrogs, dragões e orcs. Menciona também como reinos se ergueram e se tornaram grandes e fortes, e mesmo assim foram destroçados pelas forças do senhor do escuro. O livro conta acontecimentos desde a primeira era, até a terceira era, e contem um pequeno resumo sobre a criação dos anéis de poder e a ascensão e queda de Sauron como o segundo senhor do escuro." (Resumo por Jeferson Maia no Skoob)
J.R.R.Tolkien
     Apesar de contar os primeiros eventos do mundo fictício de Eä, este livro foi  editado e publicado postumamente pelo filho de Tolkien, Christopher Tolkien, em 1977. O Silmarillion juntamente com outras obras de Tolkien, formam uma extensa, embora incompleta, narrativa que descreve o universo da Eä em que se encontram as terras de Valinor, Beleriand, Númenor e da Terra Média.

     Lembrando que das obras de Tolkien, não só do livro The Silmarillion o Blind Guardian busca inspiração, mas, também de O Hobbit e O Senhor dos Anéis, como pode ser visto nas canções Majesty, By the Gates of Moria, The Bard's Song - The Hobbit e Gandalf's Rebirth.

Sobre o Nightfall in Middle-Earth

     Sexto álbum de estúdio do Blind Guardian, gravado em 1998 e baseado no livro O Silmarillion de J.R.R.Tolkien.

Formação:
Vocal: Hansi Kürsch
Guitarra: André Olbrich
Guitarra: Marcus Siepen
Bateria: Thomas Stauch

Convidados:
Baixo: Oliver Holzwarth
Teclado: Mathias Weisner
Piano: Michael Schuren
Flauta: Max Zelner
Narrações : Norman Eshley, Douglas Fielding
Coro: Billy King, Rolf Köhler, Olaf Senkbeil, Thomas Hackmann

Faixas:
"War of Wrath" - 1:50
"Into the Storm" - 4:24
"Lammoth" - 0:28
"Nightfall" - 5:34
"The Minstrel" - 0:32
"The Curse of Fëanor" - 5:41
"Captured" - 0:26
"Blood Tears" - 5:23
"Mirror Mirror" - 5:07
"Face the Truth" - 0:24
"Noldor (Dead Winter Reigns)" - 6:51
"Battle of Sudden Flame" - 0:44
"Time Stands Still (At the Iron Hill)" - 4:53
"The Dark Elf" - 0:23
"Thorn" - 6:18
"The Eldar" - 3:39
"Nom the Wise" - 0:33
"When Sorrow Sang" - 4:25
"Out on the Water" - 0:44
"The Steadfast" - 0:21
"A Dark Passage" - 6:01
"Final Chapter (Thus Ends...)" - 0:48


Traduzindo o Nightfall in Middle-Earth

     Como o trabalho do Murilo Fugikava ainda está em andamento, resolvi dividir este post em 2 partes. Sendo a 1ª acompanhando até a tradução de Noldor - já que esta é a 11ª canção de um total 22 -  e a 2ª e última parte será postada em breve, quando a tradução de A Dark Passage for posta no ar pelo Inglês Informal.
Os vídeos são muito bem explicados e assim, dispensa-se que sejam comentados detalhadamente aqui na página.

     Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho do Murilo Fugikava e conhecer outras traduções comentadas de canções do Rock/Heavy Metal é só acompanhar a página do Inglês Informal pelo Facebook ou pelo Youtube. Há traduções novas todas semanas, e já dando um spoiler pra vocês, ao terminar o projeto Nime, o Murilo trará traduções de outras canções do BG para o seu canal. Acompanhem!

Nightfall in Middle-Earth: Traduções do álbum comentadas


A Guerra da ira: Diálogo fictício entre Morgoth e Sauron. Relata a chamada Guerra da Ira, que é o momento em que o exército dos Valar marcha para Angband e ataca Morgoth e suas hostes com todas as forças (pg. 319). (Trecho retirado do Whiplash.Net)

Esta música retrata desde o momento em que Melkor passa a cobiçar as Silmarils (pg. 74), logo após sua libertação do Cárcere de Mandos (pg. 70), no Apogeu de Valinor, até o momento em que conclui sua vingança que consistiu em assassinar o Senhor dos Noldor, Finwë, roubar as Silmarils, e destruir as Árvores de Luz ‘Telperion’ e ‘Laurelin’ (pg. 85), em aliança com Ungoliant. (Trecho retirado do Whiplash.Net)

O lamento dos Eldar e dos Valar pela destruição das Árvores que iluminavam Valinor, a Terra Abençoada dos Valar, transformando o mundo em uma imensa noite escura, causando uma sufocante agonia potencializada pela Antiluz de Ungoliant (pg. 85). Fala também da rebeldia dos Noldor contra os Valar sob a liderança de Fëanor, o Espírito de Fogo, e sobre o primeiro derramamento de sangue na terra sagrada. (Trecho adaptado do Whiplash.Net)

Canta a volta dos primeiros Noldor para a Terra-média, das lembranças de Fëanor sobre o fratricídio dos Teleri em Alqualondë, e das palavras amaldiçoadas de Mandos (pg. 100).

Nesta música é descrito o lamento de Maedhros em cárcere de Morgoth, pendurado no alto de um precipício nas Thangorodrin, as Montanhas da Tirania, pelo pulso da mão direita (pg. 130). Fala também de seu resgate feito de forma heróica por seu amigo Fingon, filho de Fingolfin, que decepou sua mão para que pudesse levá-lo de volta (pg. 133). (Trecho retirado do Whiplash.Net)

Conta a história da origem do reino oculto de Gondolin. Fala de como Turgon, filho de Fingolfin, descobriu a localização ideal para começar seu próprio reino, baseado em sua antiga moradia em Aman, Tirion, pois estava entediado com as terras do norte, além de ter sido alertado por Ulmo, o Senhor das Águas, a encontrar um lugar que fosse intransponível às hordas de Morgoth, pois o futuro prometia ser funesto. (Trecho retirado de Megalomania por Aloysio França)

Relata o sofrimento vivido pelos Noldor nas terras gélidas de Helcaraxë (pg. 103), logo após o fratricídio dos Teleri (pg. 99). Fala também da Maldição de Mandos que traçaria o destino dos Noldor os conduziria à desgraça. (Trecho retirado de Megalomania por Aloysio França)

BÔNUS:
Ash nazg durbatulûk, ash nazg gimbatul,
ash nazg thrakatulûk, agh burzum-ishi krimpatul.


"Três Anéis para os Reis-Elfos sob este céu,
Sete para os Senhores-Anões em seus rochosos corredores,
Nove para os Homens Mortais fadados ao eterno sono,
Um para o Senhor do Escuro em seu escuro trono
Na Terra de Mordor onde as Sombras se deitam.
Um Anel para a todos governar, Um Anel para encontrá-los,

Um Anel para a todos trazer e na escuridão aprisioná-los

Na Terra de Mordor onde as Sombras se deitam."

Fim da 1ª parte. 

Continua...

Comentários
1 Comentários

1 Bardos comentáram, comente!:

Parabéns pelo trabalho! É muito bom ver que mesmo depois de 20 anos o NiME ainda é uma das, se não, a maior obra do Power Metal Mundial.

Postar um comentário

Faça um colaborador feliz, comente: