Conheça a "Das Bards" - Uma típica cerveja “Weinzenbier” !

A Das Bard foi feita somente 12 Unidades e distribuidas inclusive para os integrantes do Blind Guardian!

Blind Guardian em Curitiba - 2015, camarote Blind Guardian Brasil.

Saiba o que rolou no show de Curitiba/PR em 2015.

Tenha a oportunidade de ter o vinho dos bardos da Alemanha

Estamos nos organizando para importar o vinho Syrah do Blind Guardian, não fique fora dessa, clique e saiba mais sobre isso.

Ajude o Blind Guardian Brasil a crescer.

Faça-nos uma doação, e contribua para o crescimento do maior fã clube do Blind Guardian.

Blind Guardian, isso é PODER!

Blind Guardian é a maior e melhor banda de POWER METAL do mundo!

#copiright

2 de junho de 2017

Nightfall in Middle-Earth: Traduções do álbum comentadas

     Para alguns, o ápice do Blind Guardian; para outros, o álbum de maior sucesso do power metal. Mas, de forma unânime, concordamos que o álbum Nightfall in Middle-Earth é um dos melhores trabalhos da banda - definir o melhor se torna tarefa difícil - e, sem dúvida alguma, um dos maiores representantes do gênero power metal. Não é de se espantar que o álbum tenha vendido mais de 300.000 cópias em todo o mundo e solidificado a banda no cenário mundial, o que possibilitou as primeiras turnês em países como o México, Brasil e Argentina.
     Agora, quase 20 anos após o lançamento dessa obra-prima, ainda admiramos esse grande álbum conceitual que é o NiME, sempre relendo as canções e descobrindo novos detalhes compostos pela banda em cada faixa do álbum. Nenhuma canção foi descuidada, todas são bem elaboradas, tanto em questão da escrita das letras, como a sonoridade empregada pelos músicos. Como não me canso de dizer, o NiME não foi feito para ser ouvido, desgustado e digerido; mas sim, para ser ouvido, apreciado, degustado, estudado, apreciado novamente, estudado mais uma vez e apreciado várias e várias vezes.

     É através desta forma de raciocinar que o bardo e mega fã Murilo Fugikava resolveu traduzir e comentar as letras das canções do Nightfall in Middle-Earth. O trabalho que ele faz no seu canal no YouTube, o Inglês Informal, não é de apenas repassar a letra e contar uma história, ele tem todo o empenho de contextualizar a canção, explicar os pormenores empregados na letra e associar com as canções anteriores. Uma ótima homenagem do Murilo ao trabalho do Blind Guardian e, também, a grande obra de literatura The Silmarillion (J.R.R.Tolkien) de onde advém toda a inspiração para o álbum.


O que mudou do Nightfall in Middle-Earth para cá?


     A banda não só amadureceu musicalmente, se elevando como uma das maiores bandas alemãs, como também reformulou seu trabalho e passou a adotar outra sonoridade - a banda já vinha passando por transição desde o álbum anterior (Imaginations From The Other Side) quando o Speed Metal ia sendo deixado aos poucos.
     A formação também sofreu mudanças, como a saída definitiva de Hansi Kürsch do baixo para ceder este trabalho a Oliver Holzwarth, que contribuiu com a banda como músico convidado até 2011.

Afinal, do que trata este álbum?


     O Nightfall in Middle-Earth é um álbum conceitual, ou seja, é um álbum de estúdio onde todas ideias musicais e líricas contribuem para tema geral único ou uma história unificada. Sendo o tema geral do álbum a história contada no clássico The Silmarillion  do célebre autor britânico J. R. R. Tolkien.


     O livro The Silmarillion conta a origem da Terra Média e os eventos que antecendem os fatos narrados nos livros O Hobbit e O Senhor dos Anéis. O livro está dividido em 5 partes: Ainulindalë (A Música dos Ainur), Valaquenta (O Relato dos Valar), Quenta Silmarillion (A História das Silmarils), Akallabêth (A Queda de Númenor) e, por fim, Dos Anéis do Poder e da Terceira Era que encerra The Silmarillion, mas, abre espaço para novas histórias nos livros sucessores. 
"A narrativa parte desde a ordenação do mundo pelos Valar e os Maiar, a exceção de Melkor/Morgoth, que tenta destruir a criação dos outros Valar, até a origem de elfos, homens, anões e até mesmo de criaturas sombrias, como balrogs, dragões e orcs. Menciona também como reinos se ergueram e se tornaram grandes e fortes, e mesmo assim foram destroçados pelas forças do senhor do escuro. O livro conta acontecimentos desde a primeira era, até a terceira era, e contem um pequeno resumo sobre a criação dos anéis de poder e a ascensão e queda de Sauron como o segundo senhor do escuro." (Resumo por Jeferson Maia no Skoob)
J.R.R.Tolkien
     Apesar de contar os primeiros eventos do mundo fictício de Eä, este livro foi  editado e publicado postumamente pelo filho de Tolkien, Christopher Tolkien, em 1977. O Silmarillion juntamente com outras obras de Tolkien, formam uma extensa, embora incompleta, narrativa que descreve o universo da Eä em que se encontram as terras de Valinor, Beleriand, Númenor e da Terra Média.

     Lembrando que das obras de Tolkien, não só do livro The Silmarillion o Blind Guardian busca inspiração, mas, também de O Hobbit e O Senhor dos Anéis, como pode ser visto nas canções Majesty, By the Gates of Moria, The Bard's Song - The Hobbit e Gandalf's Rebirth.

Sobre o Nightfall in Middle-Earth

     Sexto álbum de estúdio do Blind Guardian, gravado em 1998 e baseado no livro O Silmarillion de J.R.R.Tolkien.

Formação:
Vocal: Hansi Kürsch
Guitarra: André Olbrich
Guitarra: Marcus Siepen
Bateria: Thomas Stauch

Convidados:
Baixo: Oliver Holzwarth
Teclado: Mathias Weisner
Piano: Michael Schuren
Flauta: Max Zelner
Narrações : Norman Eshley, Douglas Fielding
Coro: Billy King, Rolf Köhler, Olaf Senkbeil, Thomas Hackmann

Faixas:
"War of Wrath" - 1:50
"Into the Storm" - 4:24
"Lammoth" - 0:28
"Nightfall" - 5:34
"The Minstrel" - 0:32
"The Curse of Fëanor" - 5:41
"Captured" - 0:26
"Blood Tears" - 5:23
"Mirror Mirror" - 5:07
"Face the Truth" - 0:24
"Noldor (Dead Winter Reigns)" - 6:51
"Battle of Sudden Flame" - 0:44
"Time Stands Still (At the Iron Hill)" - 4:53
"The Dark Elf" - 0:23
"Thorn" - 6:18
"The Eldar" - 3:39
"Nom the Wise" - 0:33
"When Sorrow Sang" - 4:25
"Out on the Water" - 0:44
"The Steadfast" - 0:21
"A Dark Passage" - 6:01
"Final Chapter (Thus Ends...)" - 0:48


Traduzindo o Nightfall in Middle-Earth

     Como o trabalho do Murilo Fugikava ainda está em andamento, resolvi dividir este post em 2 partes. Sendo a 1ª acompanhando até a tradução de Noldor - já que esta é a 11ª canção de um total 22 -  e a 2ª e última parte será postada em breve, quando a tradução de A Dark Passage for posta no ar pelo Inglês Informal.
Os vídeos são muito bem explicados e assim, dispensa-se que sejam comentados detalhadamente aqui na página.

     Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho do Murilo Fugikava e conhecer outras traduções comentadas de canções do Rock/Heavy Metal é só acompanhar a página do Inglês Informal pelo Facebook ou pelo Youtube. Há traduções novas todas semanas, e já dando um spoiler pra vocês, ao terminar o projeto Nime, o Murilo trará traduções de outras canções do BG para o seu canal. Acompanhem!

Nightfall in Middle-Earth: Traduções do álbum comentadas


A Guerra da ira: Diálogo fictício entre Morgoth e Sauron. Relata a chamada Guerra da Ira, que é o momento em que o exército dos Valar marcha para Angband e ataca Morgoth e suas hostes com todas as forças (pg. 319). (Trecho retirado do Whiplash.Net)

Esta música retrata desde o momento em que Melkor passa a cobiçar as Silmarils (pg. 74), logo após sua libertação do Cárcere de Mandos (pg. 70), no Apogeu de Valinor, até o momento em que conclui sua vingança que consistiu em assassinar o Senhor dos Noldor, Finwë, roubar as Silmarils, e destruir as Árvores de Luz ‘Telperion’ e ‘Laurelin’ (pg. 85), em aliança com Ungoliant. (Trecho retirado do Whiplash.Net)

O lamento dos Eldar e dos Valar pela destruição das Árvores que iluminavam Valinor, a Terra Abençoada dos Valar, transformando o mundo em uma imensa noite escura, causando uma sufocante agonia potencializada pela Antiluz de Ungoliant (pg. 85). Fala também da rebeldia dos Noldor contra os Valar sob a liderança de Fëanor, o Espírito de Fogo, e sobre o primeiro derramamento de sangue na terra sagrada. (Trecho adaptado do Whiplash.Net)

Canta a volta dos primeiros Noldor para a Terra-média, das lembranças de Fëanor sobre o fratricídio dos Teleri em Alqualondë, e das palavras amaldiçoadas de Mandos (pg. 100).

Nesta música é descrito o lamento de Maedhros em cárcere de Morgoth, pendurado no alto de um precipício nas Thangorodrin, as Montanhas da Tirania, pelo pulso da mão direita (pg. 130). Fala também de seu resgate feito de forma heróica por seu amigo Fingon, filho de Fingolfin, que decepou sua mão para que pudesse levá-lo de volta (pg. 133). (Trecho retirado do Whiplash.Net)

Conta a história da origem do reino oculto de Gondolin. Fala de como Turgon, filho de Fingolfin, descobriu a localização ideal para começar seu próprio reino, baseado em sua antiga moradia em Aman, Tirion, pois estava entediado com as terras do norte, além de ter sido alertado por Ulmo, o Senhor das Águas, a encontrar um lugar que fosse intransponível às hordas de Morgoth, pois o futuro prometia ser funesto. (Trecho retirado de Megalomania por Aloysio França)

Relata o sofrimento vivido pelos Noldor nas terras gélidas de Helcaraxë (pg. 103), logo após o fratricídio dos Teleri (pg. 99). Fala também da Maldição de Mandos que traçaria o destino dos Noldor os conduziria à desgraça. (Trecho retirado de Megalomania por Aloysio França)

BÔNUS:
Ash nazg durbatulûk, ash nazg gimbatul,
ash nazg thrakatulûk, agh burzum-ishi krimpatul.


"Três Anéis para os Reis-Elfos sob este céu,
Sete para os Senhores-Anões em seus rochosos corredores,
Nove para os Homens Mortais fadados ao eterno sono,
Um para o Senhor do Escuro em seu escuro trono
Na Terra de Mordor onde as Sombras se deitam.
Um Anel para a todos governar, Um Anel para encontrá-los,

Um Anel para a todos trazer e na escuridão aprisioná-los

Na Terra de Mordor onde as Sombras se deitam."

Fim da 1ª parte. 

Continua...

31 de janeiro de 2017

Contribua com a entrevista do Frederik

Olá Bardos e Valkirias,

Quanto tempo né? (Quanto mais o tempo passa, menos tempo nós temos, hahaha)

Coneguimos uma entrevista com o querido Frederik, e estamos abrindo a entrevista para a sua contribuição, :D

Envie a pergunta que deseja fazer ao Grande Frederik para o e-mail da Marília com o título:

"Entrevista com Frederik"

 É claro que selecionaremos as melhores perguntas, recomendo que leia a biografia dele, e o site para não fazer perguntas que já tenham respostas no material disponivel por ai na internet. Hahaha

Corre lá, pq vamos aceitar somente até o dia 07/02/2017.

Abraços,

#BardoPrudente

16 de julho de 2016

Imaginations para a América do Norte



Postado em 05 de Julho de 2016, Terça-feira.



Bom dia, boa tarde ou boa noite.

Seja tarde, seja cedo, ou algo entre um e outro, suponho que sirva para o status de todos vocês, não importa onde estejam. Sendo um constante viajante pelo tempo não é nada demais para mim lidar com todos esses paradoxos ao mesmo tempo. Onde eu estava? Oh, eu não comecei, ainda...

Eu tenho algo a dizer. Aí vai. Agora. Em um segundo.

Apesar de a temporada de festivais nos manter ocupados por mais um tempo (e estamos aproveitando cada momento) nossos pensamentos já estão avançando, viajando para lugares além de sua imaginação (*alerta de spoiler*). Fisicamente presos no Aqui e no Agora (sem a intenção de referência ao Beyond the Red Mirror), nossas mentes já estão a caminho do futuro.

Eu, que já fui questionado centenas de vezes por jornalistas e fãs, se não estávamos interessados em uma performance conceitual de algum álbum, fui surpreendido por meus companheiros de banda, que tiveram exatamente a mesma ideia durante a viagem para Dinamarca e Polônia na semana passada. Não consigo me lembrar exatamente onde ou quando. Desnecessário mencionar que a ideia soou sensacional e completamente nova para eles. Adivinhem? André e Marcus sugeriram fazer dessa turnê na América do Norte em Setembro uma turnê conceitual de "Imaginations from the Other Side"!!! Sem surpresas, Frederik topou imediatamente.

Adivinhem (II), essa ideia, vindo de meus companheiros de longa data, começou a parecer interessante para mim também. Pode ter sido por conta das duas cervejas que tomei naquela noite, mas, por qualquer que seja a razão, eu concordei espontaneamente, e agora eles estão determinados a me fazer cumprir minha palavra. Sem escapatória. Eu já estou usando muitas palavras para transmitir uma simples mensagem...

Aqui vai em palavras claras...

NÓS VAMOS TOCAR O ÁLBUM IMAGINATIONS FROM THE OTHER SIDE NA ÍNTEGRA QUANDO VOLTAMOS PARA A AMÉRICA DO NORTE EM SETEMBRO!

Ao invés de revelar mais segredos, eu devo voltar para meus ensaios e praticar essas músicas. Esse verão será movimentado para nós e certamente uma ótima experiência para nossos amigos da América do Norte!


Hansi.


Traduzido do Link: http://www.blind-guardian.com/2016/07/05/imaginations-for-north-america/

Créditos da Imagem: http://www.blind-guardian.com/2016/07/05/imaginations-for-north-america/


Tradução por:
Marilia Olher (#MariTheValkyrie)


2 de fevereiro de 2016

Resenha Blind Guardian em Curitiba, por #BardoPrudente


Bom dia/tarde/noite caros bardos, hoje você irá ler sobre uma experiência incrível, inesquecível, que eu pude participar em Curitiba, conto a vocês a história do show do Blind Guardian em Curitiba, meu primeiro de muitos shows que irei assistir, e por ser meu primeiro show, essa história se torna muito especial, então puxem a cadeira, porque vocês irão ouvir agora, os bardos e suas canções...♪

Tudo começou em 2009, quando resolvi criar um blog sobre a minha banda favorita....

Acho que voltei demais, e muitos que acompanham o blog sabem da história, vamos avançar um pouco, quando o Blind Guardian anuncia a turnê do álbum Beyond the Red Mirror.


A grande equipe desse site, imediatamente começou a planejar tudo, nos mínimos detalhes.

Com uma parceria com a Overload, podemos ficar no melhor camarote do Master Hall, bem ao lado do palco, lugar onde parecia que estávamos no palco junto com o Blind Guardian. Hehehe, agradeço ao Vir, The One pela escolha.
Visão do camarote Blind Guardian Brasil

Sem mais delongas, vamos ao dia do show, tudo preparado, na parte da manhã um encontro épico, pessoas da equipe, unidas por um gosto em comum, se encontram pela primeira vez, depois de muito tempo e conversas por facebook e Whats...hahahha
Parte da equipe Blind Guardian Brasil

O incrível desses encontros, é que parece que nos conhecemos a muito, muito tempo...foi assim com a Mirella, foi assim com a Mônica, foi assim com o Virgílio, e foi assim com a Fabiana, o Leandro e a Marília, pessoas incríveis que tive o prazer de conhecer pessoalmente.
PS: Sara, você é a próxima heinm...:)

Após o encontro da equipe, recebemos notícias de onde o Blind Guardian estaria, e sem pensar duas vezes, fomos lá para conversar com eles (Stalkers? Hahahah), e entregar alguns presentes, claro. da última vez, o Vir os entregou uma cerveja para cada, feita por ele mesmo, que lhe concedeu o titulo de Mestre Cervejeiro do BGB. :D
Destaque para o Frederik, vestindo a camisa do Blind Guardian Brasil

Dessa vez, o presente foi nossa camiseta, feita especialmente para essa turnê, apresentando o nosso mascote, O Guardião do Blind Guardian Brasil, que foi bem recebido pela banda, como se pode ver. :)
Hansi recebendo sua camiseta do Blind Guardian Brasil

Conversamos e conhecemos todos os nossos Bardos, e foi incrível, com direito a ser zoado pelo Marcus quando fui tirar foto com ele, hahaha.
O Frederik é a simpatia em pessoa, primeiro encontramos com ele e o Marcus voltando de um passeio por Curitiba, a pé, o que me surpreendeu...hahaha (fico imaginando eu andando por Curitiba, e me deparar com os Membros da minha banda favorita, qual seria minha reação? hahaha).
Após entregarmos os presentes do Marcus e do Frederik, o Frederik pediu para esperarmos, para termos a chance de entregar os presentes pessoalmente para o restante da banda. e assim fizemos, é claro.
Tivemos o prazer de conhecer todos, sem exceção, e conversar com cada um brevemente, não deu para conversar mais porque eles estavam com pressa para chegar ao Master Hall.
Uma das coisas mais gratificantes, foi saber que a banda nos acompanha, tanto o site quanto as redes sociais, e que gosta muito de nosso trabalho, trabalho esse que fazemos sem remuneração e com muito carinho.

Antes de falar do show em si, um aviso, nunca deixem para pegar um taxi de última hora, muito transito, ao menos em Curitiba estava assim, quando chegamos lá, não deu pra filmarmos a fila, chegamos tarde demais...:/

Chegando no Master Hall, começamos a organizar nosso camarote, com nossa faixa, bandeira e tudo o que tínhamos direito, queríamos chamar a atenção, e conseguimos...hahaha.
Camarote Blind Guardian Brasil, com equipe e amigos.

Ansiedade a flor da pele, quando começa a tocar a introdução de The Ninth Wave, nisso eu me toquei que finalmente começou, procurei o melhor lugar, e na minha cabeça lembrei do que o Hansi me disse antes: "Enjoy the show!", percebi que no outro dia, iria estar sem voz.


The Ninth Wave foi uma introdução incrível, sem sombra de dúvidas, a parte do coral, feita pelo Barend, Marcus, André e Michael, e a performance do Hansi não deixou nem um pouco a desejar, ele andava pra lá e pra cá no palco, não deixava ninguém parado, e sua voz simplesmente estava incrível.
O Set list tocado em Curitiba foi o seguinte:

The Ninth Wave
Banish from Sanctuary
Nightfall
Fly
Tanelorn (Into the Void)
Prophecies
The Last Candle
Lord of the Rings
Time Stands Still (at the Iron Hill)
The Script for My Requiem
Imaginations from the Other Side
Wheel of Time
Twilight of the Gods
Valhalla
Into the Storm
The Bard's Song - In the Forest
Mirror Mirror
Majesty (A pedidos)

A experiência de estar no camarote praticamente dentro do palco foi incrível, o Hansi acenou várias vezes para nós, e sempre que ele fazia isso, todos gritavam em resposta, resultado é que eu fiquei rouco no outro dia...hahhaha.

Das minhas listas de músicas que eu queria ouvir no show, só faltou And Then There Was Silence e Miracle Machine, mas a que eu mais queria, Time Stands Still (at the Iron Hill), foi tocada, e eu acompanhei cantando junto a todo o momento, uma faixa de uma das partes mais incríveis do livro "O Silmarillion", livro que hoje, tenho com o autografo de todos os membros do BG. =D
Hansi fazendo todos pular e cantar junto

Infelizmente, a bandeira do Blind Guardian Brasil não ficou no palco =/, quando jogamos a mesma, o pessoal que trabalha no palco guardou, ao invés de colocá-la a amostra.
Mas tínhamos nosso camarote com uma faixa bem grande, que todos que foram ao show de Curitiba puderam ver, e isso está ótimo.
Mas nos outros shows, nossa modesta bandeira estava lá, impecável =)


Resumindo, foi uma experiência única, e incrível.
Blind Guardian 

Os vídeos contidos nessa postagem foram tirados de usuários do YouTube, as imagens foram tiradas pela colaboradora Fabiana Souza.

30 de novembro de 2015

7 Shows, 1 sentimento! Blind Guardian no Brasil em 2015

Boa tarde a todos, venho compartilhar com vocês o sentimento de todos nós sobre os shows do Blind Guardian no Brasil em 2015, escreverei pouco, pois imagens valem mais quemil palavras. =D

Começando com a equipe BGB, quase toda reunida no camarote Blind Guardian Brasil em Curitiba - PR
"Algumas pessoas, mesmo sem conhece-las pessoalmente, parecem que às conhecemos a décadas, que sempre há assuntos para conversar, que são amigos de longa data" - Marlon Prudente - Curitiba/PR
Segue as outras fotos de nossos leitores:

"Valeu a pena esperar 15 anos para q meus olhos pudessem ter a oportunidade de ver este acontecimento. A realização de um sonho. Show de Recife." - Carlos Alberto Tibucio - Recife/PE
"It was so exciting cause my best friend n I had always the dream of going to our fav band concert, Blind Guardian. He died before he could, then I realized it for us." - Gabrieli Araujo - Belo Horizonte/MG

"Foi a melhor noite da minha vida, com a minha banda preferida. Já esperava que fosse foda, mas os caras conversaram com a gente e foram muito legais. Me sinto honrada de ser fã dos bardos!" - Nina Oliveira - Belo Horizonte/MG

"Melhor show de uma vida." - Nivaldo de Luna - Recife/PE

"Quando a emoção tomou conta de mim, eu só pude curtir a energia desse momento único." - Peterson Almeida - Recife/PE

"Melhor show da minha vida. Foram dois dias para a adrenalina baixar." - Rinaldo Assis - Belo Horizonte/MG

"THIS IS VALHALLA!!!" - San Miyamoto - Porto Alegre/RS

Gostou? então curta e compartilhe! ;)
Breve resenha do show em Curitiba/PR feita por mim, ando meio sem tempo para escrever (fim de semestre na Universidade...=/)


Se você possui uma foto de algum show que foi, publique em nosso grupo do facebook:
Se gostaria de formar uma frase que resuma o show que você foi esse ano, publique nos comentários dessa postagem.

Bards we are, Bards we will be!

3 de novembro de 2015

7 Shows, 1 Sentimento!

Fala bardaiada, =P

Para comemorar a tour Beyond The Red Mirror 2015, quero fazer um post especial, onde cada um que foi ao show possa participar, como o título dessa postagem já diz, se você foi em um dos shows do Blind Guardian esse ano, e quer participar dessa homenagem ao Blind Guardian, me mande a melhor foto que você tirou no show (pode ser montagem com mais de uma foto), de dimensões 454x340 (Padrão Photoshop), e uma frase de 150 caracteres
que resuma (ou tente) resumir o que sentiu e sente sobre o show esse ano.

Pode-se me enviar uma imagem maior, porém, irei redimensionar ela para ficar nesse tamanho, ou seja, se fizer uma montagem com várias fotos, a qualidade não será tão boa, então fiquem atento a isso.

PS: Me informe qual show você foi! ;)

Com a foto escolhida, e a frase montada, envie para o email: contato@blindguardianbrasil.com.br

Estarei recebendo até o dia 15 de novembro de 2015.

Abraços,

#BardoPrudente

5 de abril de 2015

Review de Beyond the Red Mirror pelo BGB

Introdução ao álbum:

Beyond the Red Mirror é o décimo álbum do Blind Guardian. O álbum continua as histórias mencionadas em Imaginations From the Other Side (5º álbum da banda, de 1995), contidas nas faixas Bright Eyes e And the Story Ends.
A história é de criação da própria banda. Ouso a compará-la com as de álbuns do Rhapsody of Fire, que ao meu ver formam um grande filme (criado pela própria banda).
Na minha opinião, esse álbum mostra a competência do Blind Guardian musicalmente falando, já que segue uma linha de composição erudita: quem gosta de musica clássica com certeza gostou.
O Blind Guardian vem evoluindo a cada ano. Apesar de alguns fãs não gostarem dessa mudança, há enriquecimento cada vez maior em suas melodias, criando músicas cheias de cultura e requinte. Ao meu ver, é o que o BG vem buscando sempre, e o que falta a alguns fãs entender.
Se fizéssemos uma linha do tempo para o BG referente a sua mudança na sonoridade, seria:
Timeline.png
Atualmente o BG está na transição de Progressivo para Sinfônico.
Mas calma lá: as características do BG do início da carreira não se apagaram. Não dá para definir o BG por um desses itens; ao meu ver, é uma mistura de todos. Prestando atenção, nesse álbum é possível ver uma mistura na dosagem certa de Sinfônico com Speed/Power Metal: todas as músicas vão crescendo e a guitarra vai tomando conta no lugar do coral e da orquestra. Os refrões estão bem épicos, acredito que deu pra mostrar um lado muito bem orquestrado e ao mesmo tempo o power metal do início da carreira.
Com certeza esse é um trabalho que mostra muita maturidade. O Blind Guardian possui muito outros álbuns excelentes, alguns clássicos, mas não se pode resumir a banda somente com álbuns antigos. Com certeza, o BG é uma banda que se renova a cada lançamento.

As Músicas de Imaginations From the Other Side que dão introdução a história de Beyond The Red Mirror são:

  • Bright Eyes
    • Aqui há uma falta de crença em um Deus bom, “No Merlin is By My side” (não há conto de fadas). Essa descrença é evidenciada em várias faixas do álbum Beyond the Red Mirror.
  • And the Story Ends
    • Nessa faixa há referências ao espelho, diz que algo está sugando as energias, há um convite para se entrar no espelho. Uma jornada termina e outra começa, e o espelho reflete a parte cruel d’alma.
As músicas de Beyond the Red Mirror são:


  • The Ninth Wave
    • Música de abertura do álbum, começou a ser escrita logo após a turnê mundial de 2012, possui grande orquestra e coral lindos no início, e algumas falas em latim dão ar épico logo no começo. Depois dos 1:17, dá pra perceber linhas de guitarras excelentes, e o refrão é contagioso. 
    • Há vozes antagônicas, uma cheia de esperanças e outra sombria; no final elas se juntam e percebesse que vieram da mesma pessoa (ou povo). Há referências bíblicas nesta faixa, assim como em outras faixas.
  • Twilight of the Gods
    • Música do single, com certeza uma das mais pesadas do álbum. Seu riff me lembra um pouco o peso de “A Voice in the Dark”, com certeza mostra um pouco o início da carreira do BG. A música é uma introdução à capa do álbum, descreve a escadaria para o grande espelho vermelho, que é um portal para Discordia. Existe um ser em Discordia que é como um Deus, pois na letra, no trecho “the old gods, black or white, to me it’s gray” se refere ao céu e ao inferno de nossa dimensão, e essa parte da música revela que para o narrador não há diferença entre o bem e o mal. A música possui a frase “The king is gone”, uma possível referência à série “The Dark Tower”, de Stephen King.
  • Prophecies
    • Uma das músicas mais ricas do álbum, possui um clima “Metal Tradicional”; devido ao som das guitarras no começo, é também moderna. Essa música foi escrita no período de composição de At the Edge of Time, mas não tinha sido finalizada: por esse motivo tem um pouco da atmosfera do AtEoT. Essa música é uma combinação dos dois períodos de gravação, e com certeza é excepcional. Trechos da música pode ser interpretados como a presença da morte (crow), e logo depois há esperança no trecho “The king will come”. A letra também passa coragem, determinação e dúvidas.
  • At the Edge of Time
    • Os riffs do André estão excelentes, a voz do Hansi impecável, e a orquestra ao fundo faz dessa música uma das mais contagiantes do álbum. Com um lindo coral no refrão, imagino essa música ao vivo: com certeza todos nós seremos o coral cantando junto com os bardos. Essa música foi gravada primeiro pela orquestra, para que ela soasse mais orgânica; segundo o BG, foi o trabalho mais intenso e que tomou mais tempo. A música apresenta muitos acontecimentos ao mesmo tempo, o que pode fazer com que o ouvinte tenha que escutar 3, 4 ou 5 vezes antes de gostar dela. Vê-se a razão da ordem das músicas, há uma continuidade, a letra nos passa os mesmos sentimentos da faixa anterior, porem a melodia com suas variações de intensidade na voz formam uma música muito mais completa.
  • Ashes of Eternity
    • A introdução lembra um pouco Fly, mas quando Hansi começa a cantar, a meu ver, muda completamente essa impressão, com refrões acompanhados de lindos corais, a sintonia perfeita entre Marcus e André, pode-se perceber o baixo do Barend ao fundo em um casamento perfeito entre as guitarras e a bateria. A principio a música se chamava Encripted Time, mas foi mudada para Ashes of Eternity. André usou novas técnicas nessa música, e é uma das músicas que com certeza será tocada ao vivo. A música possui variações incríveis, tanto de Hansi quanto das guitarras. É claramente um guerreiro experiente dando conselhos e avisos, e ao final da faixa, o guerreiro está livre, pois passou adiante o que podia.
  • Distant Memories (Bonus track on limited edition digi-pack version)
    • Uma música que começa calma, onde a voz do Hansi está magnifica, e aos poucos percebemos a mudança na voz que só o nosso Hansi consegue fazer. Com certeza uma das músicas mais marcantes do álbum, com letras fortes. A música é bastante moderna e possui uma atmosfera de balada, com bastante arranjos progressivos suportados pela orquestra.
  • The Holy Grail
    • Uma das músicas que mais relembra o Speed/Power do Blind Guardian. Guitarras pesadas e pegada rápida, a bateria não fica para traz, excelente solo do nosso André, e refrões incríveis. O coral no final da faixa junto com a guitarra é simplesmente inesquecível. A ideia da música foi do Frederik durante o processo de composição. Provavelmente uma das mísicas mais tradicionais do álbum.
  • The Throne
    • Mistura perfeita entre vocal, orquestra e guitarras, refrões bem fortes, mostrando, como meu amigo João Luiz disse, que o Hansi é o Freddy Mercury do Metal. Parece que a voz do Hansi é como um bom vinho, quanto mais o tempo passa, melhor fica. Possui um estilo de trilha sonora, que é algo novo para o BG. 
    • A música trata da confusão de sentimentos humanos em momentos ruins, como pessimismo, desconfiança, esperança, solidão, submissão, servidão, desafio e dominância.
    • A Música pode conter referências a Game of Throne, nas partes “We must serve the fire”, “There is nothing to fear no more” .
  • Sacred Mind
    • Pegada pesada misturado com mais refrões marcantes, bateria estonteante, é muito bom ver o Frederik mandando ver. Provavelmente é a música favorita do Hansi, ela engana o ouvinte, pois faz pensar que será uma balada, mas leva o ouvinte a lugares bizarros. “É uma música bem intensa e precisa ser cantada de um jeito em particular.” - Hansi  
    • “Uma particularidade dessa música é que não respeita nenhuma regra, ela flui por si própria. Não é o tipo de música onde você consegue prever o que virá, ela está sempre mudando, indo para o inesperado.“ - André
  • Miracle Machine
    • Introdução calma, a lá “Harvest of Sorrow”, com uma pegada de piano que eu sou muuuito fã, essa música mostra que o Blind Guardian é uma puta de uma Banda, que pode se inovar sempre, e sempre terá um som de alto nível. É a balada do album: com piano, mostra um outro lado do BG. É basicamente voz e piano, com alguns toques de orquestra. 
    • A música parece como uma oração, sua voz vai variando de uma forma impressionante, como só o Hansi consegue fazer. 
    • Aqui, depois de todo o caos que se passou, a única esperança é acreditar em um milagre, para salvar a todos.
  • Grand Parade
    • Da mesma forma que se inicia o álbum, aqui se termina, com 9:29 minutos, mesmo tempo da faixa “The Ninth Wave”. Podemos dizer que o álbum abre e encerra com chave de ouro. Segundo o André, o foco foi aprimorar a dinâmica da música com a orquestra, crescer e diminuir, crescer e diminuir, uma brincadeira entre banda e orquestra. De todas, é a faixa com a letra mais forte: tons diferentes na voz do Hansi, a guitarra soa de forma diferente (mais suave, nas músicas é mais comum um som “ácido”). A sensação de escutar essa faixa é muito boa; a música é capaz de te fazer imergir na melodia e esquecer de tudo a sua volta... Chega a ser hipnotizante. É realmente incrível, e com certeza uma das músicas mais bem formuladas do álbum. “A ideia foi criar algo que fosse crescendo, crescendo e crescendo até o final e que fosse mais dramático. E para Hansi é como um sonho realizado.” - André  “Considero essa uma das melhores performances vocais do Hansi, e provavelmente a melhor música que o BG já fez.” - André 
  • Doom (Bonus track on Earbook version)
    • O começo lembra um pouco de “Lord of The Rings”, é uma música que não tem efeitos de orquestra e coros, mas é muito gostosa de se ouvir, posso dizer que é uma baladinha muito boa. com refrões marcantes e empolgantes.

294260-294262-294263-294264-294265-294266.jpg


Fontes: BLIND GUARDIAN - Beyond the Red Mirror (OFICIAL Trailer #7) Blind Guardian Site
Imagens: Nuclear Blast / Blind Guardian Site
Criação do Guardião do Brasil segurando o álbum:
Leandro Vale
Autores: 
Marlon Prudente / Bruna de Paula

Revisão: 
Marilia Olher / Bruna de Paula / Mônica Pinheiro

24 de fevereiro de 2015

Informações sobre Ingressos para os Shows do Blind Guardian em 2015

Iae Bardos e Valquírias, preparados para uma turnê épica do Blind Guardian em outubro de 2015? Acho que era o que todos aguardavam faz tempo...hahaha.

Enfim, estaremos atualizando as informações da compra de ingressos das cidades em que o BG fará show aqui, fiquem atentos.






02/10 - FORTALEZA / CE
Local: Siará Hall
Pista Comum: R$70 (meia) / R$140 (inteira)
Pista VIP: R$90 (meia) / R$180 (inteira)
Onde comprar:  Comprar no Ingressando
04/10 - RECIFE / PE
Local: Baile Perfumado
Pista Comum: R$70 (meia) / R$140 (inteira) / R$ 100,00 + 1kg alimento (Social)
Pista VIP: -
06/10 - PORTO ALEGRE / RS
Local: Opinião
Pista Comum: R$100 (1º Lote) / R$120 (2º Lote) / R$ 140 (3º Lote)
Pista VIP:-
07/10 - CURITIBA / PR
Local: Master Hall
Pista Comum: R$100 (meia) / R$200 (inteira)
Pista VIP: R$160 (meia) / R$320 (inteira)
Onde comprar: Disk Ingressos
09/10 - RIO DE JANEIRO / RJ
Local: Vivo Rio
Pista Comum: R$90 (meia) / R$180 (inteira)
Pista VIP: R$140 (meia) / R$280 (inteira)
Camarote: R$160 (meia) / R$320 (inteira) Frisa: R$100 (meia) / R$ 200 (inteira)
10/10 - BELO HORIZONTE / MG
Local: Music Hall
Pista Comum: R$100 (meia) / R$140 (inteira promocional) / R$200 (inteira)
Pista VIP: R$150 (meia) R$200 (inteira promocional) / R$300 (inteira)
Camarote OPEN BAR: R$240 (preço único) * água, cerveja, refrigerante, vodka e energético.
12/10 - SÃO PAULO / SP
Local: HSBC Brasil
Pista Comum: R$90 (meia) / R$180 (inteira)
Pista VIP: R$150 (meia)  / R$300 (inteira)