Conheça a "Das Bards" - Uma típica cerveja “Weinzenbier” !

A Das Bard foi feita somente 12 Unidades e distribuidas inclusive para os integrantes do Blind Guardian!

The Bard's Night em Curitiba, saiba tudo que aconteceu.

Saiba o que rolou no show de Curitiba/PR no dia 25/04.

Tenha a oportunidade de ter o vinho dos bardos da Alemanha

Estamos nos organizando para importar o vinho Syrah do Blind Guardian, não fique fora dessa, clique e saiba mais sobre isso.

Camisa BGBrasil, últimas do estoque.

Últimas camisas em estoque, saiba como adquirir uma clicando aqui.

Blind Guardian, isso é PODER!

Blind Guardian é a maior e melhor banda de POWER METAL do mundo!

#copiright

16 de julho de 2016

Imaginations para a América do Norte



Postado em 05 de Julho de 2016, Terça-feira.



Bom dia, boa tarde ou boa noite.

Seja tarde, seja cedo, ou algo entre um e outro, suponho que sirva para o status de todos vocês, não importa onde estejam. Sendo um constante viajante pelo tempo não é nada demais para mim lidar com todos esses paradoxos ao mesmo tempo. Onde eu estava? Oh, eu não comecei, ainda...

Eu tenho algo a dizer. Aí vai. Agora. Em um segundo.

Apesar de a temporada de festivais nos manter ocupados por mais um tempo (e estamos aproveitando cada momento) nossos pensamentos já estão avançando, viajando para lugares além de sua imaginação (*alerta de spoiler*). Fisicamente presos no Aqui e no Agora (sem a intenção de referência ao Beyond the Red Mirror), nossas mentes já estão a caminho do futuro.

Eu, que já fui questionado centenas de vezes por jornalistas e fãs, se não estávamos interessados em uma performance conceitual de algum álbum, fui surpreendido por meus companheiros de banda, que tiveram exatamente a mesma ideia durante a viagem para Dinamarca e Polônia na semana passada. Não consigo me lembrar exatamente onde ou quando. Desnecessário mencionar que a ideia soou sensacional e completamente nova para eles. Adivinhem? André e Marcus sugeriram fazer dessa turnê na América do Norte em Setembro uma turnê conceitual de "Imaginations from the Other Side"!!! Sem surpresas, Frederik topou imediatamente.

Adivinhem (II), essa ideia, vindo de meus companheiros de longa data, começou a parecer interessante para mim também. Pode ter sido por conta das duas cervejas que tomei naquela noite, mas, por qualquer que seja a razão, eu concordei espontaneamente, e agora eles estão determinados a me fazer cumprir minha palavra. Sem escapatória. Eu já estou usando muitas palavras para transmitir uma simples mensagem...

Aqui vai em palavras claras...

NÓS VAMOS TOCAR O ÁLBUM IMAGINATIONS FROM THE OTHER SIDE NA ÍNTEGRA QUANDO VOLTAMOS PARA A AMÉRICA DO NORTE EM SETEMBRO!

Ao invés de revelar mais segredos, eu devo voltar para meus ensaios e praticar essas músicas. Esse verão será movimentado para nós e certamente uma ótima experiência para nossos amigos da América do Norte!


Hansi.


Traduzido do Link: http://www.blind-guardian.com/2016/07/05/imaginations-for-north-america/

Créditos da Imagem: http://www.blind-guardian.com/2016/07/05/imaginations-for-north-america/


Tradução por:
Marilia Olher (#MariTheValkyrie)


2 de fevereiro de 2016

Resenha Blind Guardian em Curitiba, por #BardoPrudente


Bom dia/tarde/noite caros bardos, hoje você irá ler sobre uma experiência incrível, inesquecível, que eu pude participar em Curitiba, conto a vocês a história do show do Blind Guardian em Curitiba, meu primeiro de muitos shows que irei assistir, e por ser meu primeiro show, essa história se torna muito especial, então puxem a cadeira, porque vocês irão ouvir agora, os bardos e suas canções...♪

Tudo começou em 2009, quando resolvi criar um blog sobre a minha banda favorita....

Acho que voltei demais, e muitos que acompanham o blog sabem da história, vamos avançar um pouco, quando o Blind Guardian anuncia a turnê do álbum Beyond the Red Mirror.


A grande equipe desse site, imediatamente começou a planejar tudo, nos mínimos detalhes.

Com uma parceria com a Overload, podemos ficar no melhor camarote do Master Hall, bem ao lado do palco, lugar onde parecia que estávamos no palco junto com o Blind Guardian. Hehehe, agradeço ao Vir, The One pela escolha.
Visão do camarote Blind Guardian Brasil

Sem mais delongas, vamos ao dia do show, tudo preparado, na parte da manhã um encontro épico, pessoas da equipe, unidas por um gosto em comum, se encontram pela primeira vez, depois de muito tempo e conversas por facebook e Whats...hahahha
Parte da equipe Blind Guardian Brasil

O incrível desses encontros, é que parece que nos conhecemos a muito, muito tempo...foi assim com a Mirella, foi assim com a Mônica, foi assim com o Virgílio, e foi assim com a Fabiana, o Leandro e a Marília, pessoas incríveis que tive o prazer de conhecer pessoalmente.
PS: Sara, você é a próxima heinm...:)

Após o encontro da equipe, recebemos notícias de onde o Blind Guardian estaria, e sem pensar duas vezes, fomos lá para conversar com eles (Stalkers? Hahahah), e entregar alguns presentes, claro. da última vez, o Vir os entregou uma cerveja para cada, feita por ele mesmo, que lhe concedeu o titulo de Mestre Cervejeiro do BGB. :D
Destaque para o Frederik, vestindo a camisa do Blind Guardian Brasil

Dessa vez, o presente foi nossa camiseta, feita especialmente para essa turnê, apresentando o nosso mascote, O Guardião do Blind Guardian Brasil, que foi bem recebido pela banda, como se pode ver. :)
Hansi recebendo sua camiseta do Blind Guardian Brasil

Conversamos e conhecemos todos os nossos Bardos, e foi incrível, com direito a ser zoado pelo Marcus quando fui tirar foto com ele, hahaha.
O Frederik é a simpatia em pessoa, primeiro encontramos com ele e o Marcus voltando de um passeio por Curitiba, a pé, o que me surpreendeu...hahaha (fico imaginando eu andando por Curitiba, e me deparar com os Membros da minha banda favorita, qual seria minha reação? hahaha).
Após entregarmos os presentes do Marcus e do Frederik, o Frederik pediu para esperarmos, para termos a chance de entregar os presentes pessoalmente para o restante da banda. e assim fizemos, é claro.
Tivemos o prazer de conhecer todos, sem exceção, e conversar com cada um brevemente, não deu para conversar mais porque eles estavam com pressa para chegar ao Master Hall.
Uma das coisas mais gratificantes, foi saber que a banda nos acompanha, tanto o site quanto as redes sociais, e que gosta muito de nosso trabalho, trabalho esse que fazemos sem remuneração e com muito carinho.

Antes de falar do show em si, um aviso, nunca deixem para pegar um taxi de última hora, muito transito, ao menos em Curitiba estava assim, quando chegamos lá, não deu pra filmarmos a fila, chegamos tarde demais...:/

Chegando no Master Hall, começamos a organizar nosso camarote, com nossa faixa, bandeira e tudo o que tínhamos direito, queríamos chamar a atenção, e conseguimos...hahaha.
Camarote Blind Guardian Brasil, com equipe e amigos.

Ansiedade a flor da pele, quando começa a tocar a introdução de The Ninth Wave, nisso eu me toquei que finalmente começou, procurei o melhor lugar, e na minha cabeça lembrei do que o Hansi me disse antes: "Enjoy the show!", percebi que no outro dia, iria estar sem voz.


The Ninth Wave foi uma introdução incrível, sem sombra de dúvidas, a parte do coral, feita pelo Barend, Marcus, André e Michael, e a performance do Hansi não deixou nem um pouco a desejar, ele andava pra lá e pra cá no palco, não deixava ninguém parado, e sua voz simplesmente estava incrível.
O Set list tocado em Curitiba foi o seguinte:

The Ninth Wave
Banish from Sanctuary
Nightfall
Fly
Tanelorn (Into the Void)
Prophecies
The Last Candle
Lord of the Rings
Time Stands Still (at the Iron Hill)
The Script for My Requiem
Imaginations from the Other Side
Wheel of Time
Twilight of the Gods
Valhalla
Into the Storm
The Bard's Song - In the Forest
Mirror Mirror
Majesty (A pedidos)

A experiência de estar no camarote praticamente dentro do palco foi incrível, o Hansi acenou várias vezes para nós, e sempre que ele fazia isso, todos gritavam em resposta, resultado é que eu fiquei rouco no outro dia...hahhaha.

Das minhas listas de músicas que eu queria ouvir no show, só faltou And Then There Was Silence e Miracle Machine, mas a que eu mais queria, Time Stands Still (at the Iron Hill), foi tocada, e eu acompanhei cantando junto a todo o momento, uma faixa de uma das partes mais incríveis do livro "O Silmarillion", livro que hoje, tenho com o autografo de todos os membros do BG. =D
Hansi fazendo todos pular e cantar junto

Infelizmente, a bandeira do Blind Guardian Brasil não ficou no palco =/, quando jogamos a mesma, o pessoal que trabalha no palco guardou, ao invés de colocá-la a amostra.
Mas tínhamos nosso camarote com uma faixa bem grande, que todos que foram ao show de Curitiba puderam ver, e isso está ótimo.
Mas nos outros shows, nossa modesta bandeira estava lá, impecável =)


Resumindo, foi uma experiência única, e incrível.
Blind Guardian 

Os vídeos contidos nessa postagem foram tirados de usuários do YouTube, as imagens foram tiradas pela colaboradora Fabiana Souza.

30 de novembro de 2015

7 Shows, 1 sentimento! Blind Guardian no Brasil em 2015

Boa tarde a todos, venho compartilhar com vocês o sentimento de todos nós sobre os shows do Blind Guardian no Brasil em 2015, escreverei pouco, pois imagens valem mais quemil palavras. =D

Começando com a equipe BGB, quase toda reunida no camarote Blind Guardian Brasil em Curitiba - PR
"Algumas pessoas, mesmo sem conhece-las pessoalmente, parecem que às conhecemos a décadas, que sempre há assuntos para conversar, que são amigos de longa data" - Marlon Prudente - Curitiba/PR
Segue as outras fotos de nossos leitores:

"Valeu a pena esperar 15 anos para q meus olhos pudessem ter a oportunidade de ver este acontecimento. A realização de um sonho. Show de Recife." - Carlos Alberto Tibucio - Recife/PE
"It was so exciting cause my best friend n I had always the dream of going to our fav band concert, Blind Guardian. He died before he could, then I realized it for us." - Gabrieli Araujo - Belo Horizonte/MG

"Foi a melhor noite da minha vida, com a minha banda preferida. Já esperava que fosse foda, mas os caras conversaram com a gente e foram muito legais. Me sinto honrada de ser fã dos bardos!" - Nina Oliveira - Belo Horizonte/MG

"Melhor show de uma vida." - Nivaldo de Luna - Recife/PE

"Quando a emoção tomou conta de mim, eu só pude curtir a energia desse momento único." - Peterson Almeida - Recife/PE

"Melhor show da minha vida. Foram dois dias para a adrenalina baixar." - Rinaldo Assis - Belo Horizonte/MG

"THIS IS VALHALLA!!!" - San Miyamoto - Porto Alegre/RS

Gostou? então curta e compartilhe! ;)
Breve resenha do show em Curitiba/PR feita por mim, ando meio sem tempo para escrever (fim de semestre na Universidade...=/)


Se você possui uma foto de algum show que foi, publique em nosso grupo do facebook:
Se gostaria de formar uma frase que resuma o show que você foi esse ano, publique nos comentários dessa postagem.

Bards we are, Bards we will be!

3 de novembro de 2015

7 Shows, 1 Sentimento!

Fala bardaiada, =P

Para comemorar a tour Beyond The Red Mirror 2015, quero fazer um post especial, onde cada um que foi ao show possa participar, como o título dessa postagem já diz, se você foi em um dos shows do Blind Guardian esse ano, e quer participar dessa homenagem ao Blind Guardian, me mande a melhor foto que você tirou no show (pode ser montagem com mais de uma foto), de dimensões 454x340 (Padrão Photoshop), e uma frase de 150 caracteres
que resuma (ou tente) resumir o que sentiu e sente sobre o show esse ano.

Pode-se me enviar uma imagem maior, porém, irei redimensionar ela para ficar nesse tamanho, ou seja, se fizer uma montagem com várias fotos, a qualidade não será tão boa, então fiquem atento a isso.

PS: Me informe qual show você foi! ;)

Com a foto escolhida, e a frase montada, envie para o email: contato@blindguardianbrasil.com.br

Estarei recebendo até o dia 15 de novembro de 2015.

Abraços,

#BardoPrudente

5 de abril de 2015

Review de Beyond the Red Mirror pelo BGB

Introdução ao álbum:

Beyond the Red Mirror é o décimo álbum do Blind Guardian. O álbum continua as histórias mencionadas em Imaginations From the Other Side (5º álbum da banda, de 1995), contidas nas faixas Bright Eyes e And the Story Ends.
A história é de criação da própria banda. Ouso a compará-la com as de álbuns do Rhapsody of Fire, que ao meu ver formam um grande filme (criado pela própria banda).
Na minha opinião, esse álbum mostra a competência do Blind Guardian musicalmente falando, já que segue uma linha de composição erudita: quem gosta de musica clássica com certeza gostou.
O Blind Guardian vem evoluindo a cada ano. Apesar de alguns fãs não gostarem dessa mudança, há enriquecimento cada vez maior em suas melodias, criando músicas cheias de cultura e requinte. Ao meu ver, é o que o BG vem buscando sempre, e o que falta a alguns fãs entender.
Se fizéssemos uma linha do tempo para o BG referente a sua mudança na sonoridade, seria:
Timeline.png
Atualmente o BG está na transição de Progressivo para Sinfônico.
Mas calma lá: as características do BG do início da carreira não se apagaram. Não dá para definir o BG por um desses itens; ao meu ver, é uma mistura de todos. Prestando atenção, nesse álbum é possível ver uma mistura na dosagem certa de Sinfônico com Speed/Power Metal: todas as músicas vão crescendo e a guitarra vai tomando conta no lugar do coral e da orquestra. Os refrões estão bem épicos, acredito que deu pra mostrar um lado muito bem orquestrado e ao mesmo tempo o power metal do início da carreira.
Com certeza esse é um trabalho que mostra muita maturidade. O Blind Guardian possui muito outros álbuns excelentes, alguns clássicos, mas não se pode resumir a banda somente com álbuns antigos. Com certeza, o BG é uma banda que se renova a cada lançamento.

As Músicas de Imaginations From the Other Side que dão introdução a história de Beyond The Red Mirror são:

  • Bright Eyes
    • Aqui há uma falta de crença em um Deus bom, “No Merlin is By My side” (não há conto de fadas). Essa descrença é evidenciada em várias faixas do álbum Beyond the Red Mirror.
  • And the Story Ends
    • Nessa faixa há referências ao espelho, diz que algo está sugando as energias, há um convite para se entrar no espelho. Uma jornada termina e outra começa, e o espelho reflete a parte cruel d’alma.
As músicas de Beyond the Red Mirror são:


  • The Ninth Wave
    • Música de abertura do álbum, começou a ser escrita logo após a turnê mundial de 2012, possui grande orquestra e coral lindos no início, e algumas falas em latim dão ar épico logo no começo. Depois dos 1:17, dá pra perceber linhas de guitarras excelentes, e o refrão é contagioso. 
    • Há vozes antagônicas, uma cheia de esperanças e outra sombria; no final elas se juntam e percebesse que vieram da mesma pessoa (ou povo). Há referências bíblicas nesta faixa, assim como em outras faixas.
  • Twilight of the Gods
    • Música do single, com certeza uma das mais pesadas do álbum. Seu riff me lembra um pouco o peso de “A Voice in the Dark”, com certeza mostra um pouco o início da carreira do BG. A música é uma introdução à capa do álbum, descreve a escadaria para o grande espelho vermelho, que é um portal para Discordia. Existe um ser em Discordia que é como um Deus, pois na letra, no trecho “the old gods, black or white, to me it’s gray” se refere ao céu e ao inferno de nossa dimensão, e essa parte da música revela que para o narrador não há diferença entre o bem e o mal. A música possui a frase “The king is gone”, uma possível referência à série “The Dark Tower”, de Stephen King.
  • Prophecies
    • Uma das músicas mais ricas do álbum, possui um clima “Metal Tradicional”; devido ao som das guitarras no começo, é também moderna. Essa música foi escrita no período de composição de At the Edge of Time, mas não tinha sido finalizada: por esse motivo tem um pouco da atmosfera do AtEoT. Essa música é uma combinação dos dois períodos de gravação, e com certeza é excepcional. Trechos da música pode ser interpretados como a presença da morte (crow), e logo depois há esperança no trecho “The king will come”. A letra também passa coragem, determinação e dúvidas.
  • At the Edge of Time
    • Os riffs do André estão excelentes, a voz do Hansi impecável, e a orquestra ao fundo faz dessa música uma das mais contagiantes do álbum. Com um lindo coral no refrão, imagino essa música ao vivo: com certeza todos nós seremos o coral cantando junto com os bardos. Essa música foi gravada primeiro pela orquestra, para que ela soasse mais orgânica; segundo o BG, foi o trabalho mais intenso e que tomou mais tempo. A música apresenta muitos acontecimentos ao mesmo tempo, o que pode fazer com que o ouvinte tenha que escutar 3, 4 ou 5 vezes antes de gostar dela. Vê-se a razão da ordem das músicas, há uma continuidade, a letra nos passa os mesmos sentimentos da faixa anterior, porem a melodia com suas variações de intensidade na voz formam uma música muito mais completa.
  • Ashes of Eternity
    • A introdução lembra um pouco Fly, mas quando Hansi começa a cantar, a meu ver, muda completamente essa impressão, com refrões acompanhados de lindos corais, a sintonia perfeita entre Marcus e André, pode-se perceber o baixo do Barend ao fundo em um casamento perfeito entre as guitarras e a bateria. A principio a música se chamava Encripted Time, mas foi mudada para Ashes of Eternity. André usou novas técnicas nessa música, e é uma das músicas que com certeza será tocada ao vivo. A música possui variações incríveis, tanto de Hansi quanto das guitarras. É claramente um guerreiro experiente dando conselhos e avisos, e ao final da faixa, o guerreiro está livre, pois passou adiante o que podia.
  • Distant Memories (Bonus track on limited edition digi-pack version)
    • Uma música que começa calma, onde a voz do Hansi está magnifica, e aos poucos percebemos a mudança na voz que só o nosso Hansi consegue fazer. Com certeza uma das músicas mais marcantes do álbum, com letras fortes. A música é bastante moderna e possui uma atmosfera de balada, com bastante arranjos progressivos suportados pela orquestra.
  • The Holy Grail
    • Uma das músicas que mais relembra o Speed/Power do Blind Guardian. Guitarras pesadas e pegada rápida, a bateria não fica para traz, excelente solo do nosso André, e refrões incríveis. O coral no final da faixa junto com a guitarra é simplesmente inesquecível. A ideia da música foi do Frederik durante o processo de composição. Provavelmente uma das mísicas mais tradicionais do álbum.
  • The Throne
    • Mistura perfeita entre vocal, orquestra e guitarras, refrões bem fortes, mostrando, como meu amigo João Luiz disse, que o Hansi é o Freddy Mercury do Metal. Parece que a voz do Hansi é como um bom vinho, quanto mais o tempo passa, melhor fica. Possui um estilo de trilha sonora, que é algo novo para o BG. 
    • A música trata da confusão de sentimentos humanos em momentos ruins, como pessimismo, desconfiança, esperança, solidão, submissão, servidão, desafio e dominância.
    • A Música pode conter referências a Game of Throne, nas partes “We must serve the fire”, “There is nothing to fear no more” .
  • Sacred Mind
    • Pegada pesada misturado com mais refrões marcantes, bateria estonteante, é muito bom ver o Frederik mandando ver. Provavelmente é a música favorita do Hansi, ela engana o ouvinte, pois faz pensar que será uma balada, mas leva o ouvinte a lugares bizarros. “É uma música bem intensa e precisa ser cantada de um jeito em particular.” - Hansi  
    • “Uma particularidade dessa música é que não respeita nenhuma regra, ela flui por si própria. Não é o tipo de música onde você consegue prever o que virá, ela está sempre mudando, indo para o inesperado.“ - André
  • Miracle Machine
    • Introdução calma, a lá “Harvest of Sorrow”, com uma pegada de piano que eu sou muuuito fã, essa música mostra que o Blind Guardian é uma puta de uma Banda, que pode se inovar sempre, e sempre terá um som de alto nível. É a balada do album: com piano, mostra um outro lado do BG. É basicamente voz e piano, com alguns toques de orquestra. 
    • A música parece como uma oração, sua voz vai variando de uma forma impressionante, como só o Hansi consegue fazer. 
    • Aqui, depois de todo o caos que se passou, a única esperança é acreditar em um milagre, para salvar a todos.
  • Grand Parade
    • Da mesma forma que se inicia o álbum, aqui se termina, com 9:29 minutos, mesmo tempo da faixa “The Ninth Wave”. Podemos dizer que o álbum abre e encerra com chave de ouro. Segundo o André, o foco foi aprimorar a dinâmica da música com a orquestra, crescer e diminuir, crescer e diminuir, uma brincadeira entre banda e orquestra. De todas, é a faixa com a letra mais forte: tons diferentes na voz do Hansi, a guitarra soa de forma diferente (mais suave, nas músicas é mais comum um som “ácido”). A sensação de escutar essa faixa é muito boa; a música é capaz de te fazer imergir na melodia e esquecer de tudo a sua volta... Chega a ser hipnotizante. É realmente incrível, e com certeza uma das músicas mais bem formuladas do álbum. “A ideia foi criar algo que fosse crescendo, crescendo e crescendo até o final e que fosse mais dramático. E para Hansi é como um sonho realizado.” - André  “Considero essa uma das melhores performances vocais do Hansi, e provavelmente a melhor música que o BG já fez.” - André 
  • Doom (Bonus track on Earbook version)
    • O começo lembra um pouco de “Lord of The Rings”, é uma música que não tem efeitos de orquestra e coros, mas é muito gostosa de se ouvir, posso dizer que é uma baladinha muito boa. com refrões marcantes e empolgantes.

294260-294262-294263-294264-294265-294266.jpg


Fontes: BLIND GUARDIAN - Beyond the Red Mirror (OFICIAL Trailer #7) Blind Guardian Site
Imagens: Nuclear Blast / Blind Guardian Site
Criação do Guardião do Brasil segurando o álbum:
Leandro Vale
Autores: 
Marlon Prudente / Bruna de Paula

Revisão: 
Marilia Olher / Bruna de Paula / Mônica Pinheiro

24 de fevereiro de 2015

Informações sobre Ingressos para os Shows do Blind Guardian em 2015

Iae Bardos e Valquírias, preparados para uma turnê épica do Blind Guardian em outubro de 2015? Acho que era o que todos aguardavam faz tempo...hahaha.

Enfim, estaremos atualizando as informações da compra de ingressos das cidades em que o BG fará show aqui, fiquem atentos.






02/10 - FORTALEZA / CE
Local: Siará Hall
Pista Comum: R$70 (meia) / R$140 (inteira)
Pista VIP: R$90 (meia) / R$180 (inteira)
Onde comprar:  Comprar no Ingressando
04/10 - RECIFE / PE
Local: Baile Perfumado
Pista Comum: R$70 (meia) / R$140 (inteira) / R$ 100,00 + 1kg alimento (Social)
Pista VIP: -
06/10 - PORTO ALEGRE / RS
Local: Opinião
Pista Comum: R$100 (1º Lote) / R$120 (2º Lote) / R$ 140 (3º Lote)
Pista VIP:-
07/10 - CURITIBA / PR
Local: Master Hall
Pista Comum: R$100 (meia) / R$200 (inteira)
Pista VIP: R$160 (meia) / R$320 (inteira)
Onde comprar: Disk Ingressos
09/10 - RIO DE JANEIRO / RJ
Local: Vivo Rio
Pista Comum: R$90 (meia) / R$180 (inteira)
Pista VIP: R$140 (meia) / R$280 (inteira)
Camarote: R$160 (meia) / R$320 (inteira) Frisa: R$100 (meia) / R$ 200 (inteira)
10/10 - BELO HORIZONTE / MG
Local: Music Hall
Pista Comum: R$100 (meia) / R$140 (inteira promocional) / R$200 (inteira)
Pista VIP: R$150 (meia) R$200 (inteira promocional) / R$300 (inteira)
Camarote OPEN BAR: R$240 (preço único) * água, cerveja, refrigerante, vodka e energético.
12/10 - SÃO PAULO / SP
Local: HSBC Brasil
Pista Comum: R$90 (meia) / R$180 (inteira)
Pista VIP: R$150 (meia)  / R$300 (inteira)



19 de fevereiro de 2015

Blind Guardian no Brasil em 2015

Olá bardos e valquírias, é com muito prazer que anuncio a vinda do Blind Guardian em terras brasileiras nesse ano (2015).

Segue o Banner da turnê no Brasil:


Sobre a venda de Ingressos:
"As vendas na maioria das cidades vão começar no dia 24 de Fevereiro mesmo. Pode deixar que postaremos tudo com antecedência na nossa página.

Alguns shows, como Fortaleza e Recife, podem entrar à venda antes da data, já que produtoras locais são as responsáveis.

Att,

Overload" 

Uhuuu, nos vemos em Outubro galera!! \m/

28 de dezembro de 2014

ENTREVISTA COM BAREND “the BEAR” COURBOIS



ENTREVISTA COM BAREND “the BEAR” COURBOIS 



Em Novembro de 2014 tivemos a oportunidade de conversar um pouco com Barend Courbois, atual baixista do Blind Guardian, conhecer um pouco mais de sua personalidade, sua carreira e de como aconteceu o convite para tocar com a Banda. Desde o primeiro contato Barend foi bastante simpático e receptivo e nos atendeu muito bem. A entrevista foi feita em Inglês, e traduzida para Português, disponibilizaremos as duas versões. Confiram! 



SESSÃO 01 – Perguntas Pessoais e Curiosidades



BGB: Sendo filho de um músico bem sucedido e de uma professora de artes como você descobriu / decidiu que queria de fato ser baixista e por que escolheu o baixo já que você também toca outros instrumentos? 

BC: Sim, meu querido pai é um dos melhores e um dos últimos bateristas de Jazz do mundo, então eu comecei batucando sua bateria por volta dos 4 anos de idade. Aos oito anos eu quis tocar o “sagrado” baixo...até meus 14 ou 15 anos toquei os dois instrumentos mas depois deixei a bateria. Eu também tocava Tabla (instrumento Indiano) e Gaita de Fole. Então eu acho que quis tocar baixo pois ele funciona como uma espécie de “cola” entre um instrumento melódico (violão / piano) e um instrumento de ritmo (bateria).




BGB: Há influências do seu pai (Sir Pierre Courbois) em sua técnica ao tocar?

BC: Sim, ele me ensinou todos os tipos de arranjos de bateria possíveis e eu ainda os utilizo quando toco baixo (por exemplo: minha técnica de batidas com a mão esquerda e com a mão direita) e mais, o bom disso  tudo é que eu penso como baterista então eu levo cerca de três minutos para me acertar e tocar com um novo baterista,  pois eu sei o que e como um bom baterista deve tocar. http://youtu.be/Hdp4pGeEPeE

BGB: O que você sentiu em sua primeira apresentação? Ela foi sua preferida? Se não, qual foi?

BC: Eu tinha 11 anos e estava muito nervoso, mas depois de alguns minutos eu pensei “OK, isso aqui é mesmo mágico e é o que eu vou fazer pelo resto da vida!!!”. De meus 11 anos aos dias atuais eu já fiz cerca de 4.000 shows e gravei mais de 60 álbuns. 


BGB: Você conseguiria escolher o momento mais incrível da sua vida, musicalmente falando? 

BC: Haha…Há tantos dos meus momentos favoritos, muitos mesmo…mas tocar com o Blind Guardian é absurdamente LEGAL então é por isso que estou vivendo meu momento mais incrível aqui e agora!!!! 



BGB: Muitas fãs gostariam de saber: o que você faz para ter um cabelo tão bonito?

BC: Obrigado…A última vez que eu fui a um cabeleireiro eu tinha 15 anos (muito tempo atrás) e desde então eu deixo crescer e eu mesmo aparo as pontas!! Dica de Cabelo do Urso: Comam MUITO alho fresco, azeite de oliva de boa qualidade e pimentas...isso vai fazer com que  o cabelo de vocês cresça e o manterá brilhoso e saudável. 


BGB: Nós sabemos que você é um grande fã de Iron Maiden. Em quantos shows do Maiden você já foi? Nossa última informação era de 37, está correto? Conte-nos um pouco mais sobre essa “obsessão”.

BC: 38 shows hahaha....a Turnê Maiden England em Amsterdam (Holanda) foi minha 38ª  vez vendo a banda...Meu primeiro show foi em 1980 quando eles abriram para o KISS na Europa e desde então eu sou um grande fã...o único período quando parei de ver shows do Iron foi durante a fase com Blaze Baley mas de resto eu assisti os shows de cada turnê pelos 3 ou 4 vezes...Eu também era um grande colecionador de bootlegs de shows quando era mais novo (lá nos sagrados anos 80) e eu sabia onde eles estavam tocando a cada dia...então é por isso que eu sei todos os nomes de Estádios / Casas de Show em cada cidade ao redor do mundo!!!!


BGB: Você poderia nos contar um pouco sobre os projetos em que está trabalhando agora e quais são seus planos para o futuro?

BC: No momento eu estou trabalhando nos novos álbuns das bandas Tri-Head ( https://www.facebook.com/TriHeadMusic) de Timo Somers, Quest (https://www.facebook.com/ROCK.BAND.QUEST), TANK (http://www.tankofficial.com/), e em meu novo álbum solo...e também há o novo álbum da cantora Canadense LEAH (http://leahmusic.net/) que será lançado em breve.

SESSÃO 02 – Perguntas sobre Blind Guardian 



BGB: Como foi seu primeiro contato com o Blind Guardian? Você já conhecia o trabalho deles antes de ser convidado para tocar? Como esse convite aconteceu? 
BC: Meu primeiro contato com eles aconteceu pois estavam procurando um baixista para as apresentações ao vivo na Turnê Mundial de 2010/11/12...então o produtor Charlie Bauerfeind disse que conhecia um baixista da Holanda que se encaixaria perfeitamente (Ainda bem que ele lembrou de mim mesmo após 20 anos sem nos vermos)....Na mesma semana eu me reuni com Hansi e André em seu estúdio na Alemanha...tive três semanas para aprender as músicas e terminei os últimos meses da Turnê Mundial!!!! Não, eu não conhecia o trabalho deles até então, claro que eu já conhecia o nome Blind Guardian há muitos anos...Mas agora eu sou o fã #1!!!!!! 

BGB: Para os fãs mais antigos do BG sempre há a imagem do início da banda com o Hansi Kürsch no comando do baixo. Você vê essa comparação como algo que dificulte o seu reconhecimento na banda?

BC: Não, de forma alguma!!!! 

BGB: Você se lembra qual foi o primeiro show do BG em que tocou? Qual foi a sensação de subir no palco com eles?

BC: Ah sim, eu vou lembrar daquele show para o resto da vida hahaahah...Eu estava tão nervoso, cara, muito nervoso...Cometi vários erros bobos...mas eu com certeza mandei ver!!!

BGB: Você se sentiu bem recebido pelos fãs de BG quando começou a tocar com eles? 

BC: Sim, eu me senti bem recebido em todos os lugares…foi uma sensação muito bacana...muito obrigada a todos vocês!!!! 

BGB: As canções do Blind Guardian são famosas por trazerem para a música o elemento literatura, especificamente, no caso do BG a literatura fantástica. Para suas contribuições para o Blind Guardian houve, além do estudo da música, um aprofundamento em algum livro especificamente? 

BC: Não, eu estudei cerca de 40 músicas do Blind Guardian e posso dizer que já foi suficientemente difícil haha...

BGB: Durante sua carreira você trabalhou com inúmeros artistas consagrados, como Zakk Wylde, Joost van den Broek, Mike Terrana, Chris Caffery e o guitar hero brasileiro Andreas Kisser. Com tantos anos de experiência e um currículo tão abrangedor, quais as dificuldades, novidades e receios de tocar com o Blind Guardian?

BC: Eu sempre fui um cara chamado mais para “sessões”, aprendi (e ainda estou aprendendo) muito com todas as pessoas com quem toquei ao longo desses anos todos, não apenas sobre tocar música, mas também sobre como me portar, sobreviver, reagir em relação aos negócios etc, etc, pois há muitas razões pelas quais te chamam para tocar em outra turnê ou álbum, é todo um conjunto...a música e sua personalidade, então trabalhar com Blind Guardian não é diferente de trabalhar com qualquer outro artista ou banda de alto nível...você tem que tocar e dar o seu melhor todas as noites, se divertir, estar em forma física e mentalmente, ouvir mais e falar menos, ser positivo e amigável, se algo der errado consertar logo, ter o melhor equipamento do mundo e ótimo som!!!! 

BGB: Sabemos que você também toca com outra banda além do BG (Tri Head). Poderia nos dizer quais são as principais diferenças entre tocar com cada uma delas? Os públicos são muito diferentes uns dos outros?  

BC: Meu gosto musical e minhas influências são tão vastos...e meu estilo de tocar tem tantos elementos de todos os tipos de música que no final eu toco praticamente a mesma coisa em todos os lugares...haha. Eu gosto de tocar para públicos menores, que “ouvem” mais, num estilo Jazz e adoro shows de Rock / Metal grandes e barulhentos...É minha “síndrome” de o Médico e o Monstro hahah.


BGB: Qual é seu álbum preferido do BG e por que?

BC: O novo, porque eu toco o baixo hahahaha!!! 

BGB: Poderia nos contar um pouco mais sobre o próximo álbum do BG: Beyond the Red Mirror? Como foi gravar o baixo para ele?

BC: Sim, gravar o baixo para Beyond the Red Mirror foi uma experiência fantástica e foi um prazer trabalhar (depois de tanto tempo) e criar novos sons com o Charlie que é um ótimo produtor...claro que foi bastante trabalhoso e difícil mas o importante é o resultado final, e esse resultado final está DEMAIS!!!! 

BGB: Os fãs brasileiros estão ansiosos para ver você tocando ao vivo com BG novamente. Podemos esperar um show em nosso País logo mais?

BC: Eu ainda não posso falar muito sobre a próxima Turnê Mundial…mas as pessoas queridas do Brasil vão ficar mais do que felizes!!!!! 


Para mais informações sobre Barend 'the Bear' Courbois e para fazê-lo se sentir mais bem recebido, confiram seu site http://www.barendcourbois.nl/index.php/en/  e juntem-se à sua página do Facebook https://www.facebook.com/barendcourbois.


Equipe BGB Agradece: Barend Courbois
Tradução por: Marilia Olher
Elaboração de Perguntas: Bruna Monarin, Marilia Olher, Marlon Prudente, Sara Leal, Virgílio Mirkoski.
Créditos da Imagem: Davina Scheper (https://www.flickr.com/photos/davinascheper/6058512177/)

Créditos da Montagem: Leandro Vale 



(ENGLISH) 

In November 2014 we had the opportunity to talk to Barend Courbois, Blind Guardian’s current bass player, we got to know a bit more about his personality, career, and how the invitation to join the Band happened. Since our first contact, Barend was very captivating, receptive, and welcoming. The interview was made in English and translated to Portuguese; both versions will be posted here. Check it out!


SESSION 1 – Personal Questions / Curiosities 



BGB: Being the son of a successful musician and an art teacher how did you find out / decide you truly wanted to be a bass player and why did you choose the bass guitar since you also know how to play other instruments? 

BC: Yep, my dear Father is one of the best and last Jazz Drummers in the World, so I started banging his drums when I was 4 years old and when I was 8 years old I wanted to play the Mighty bassguitar....'till my 14/15 I played both but then I stopped playing the drums...I also played the Indian Tabla's and the Scottish Back pipe. So Yeah, I think I wanted to play the bass because it's the 'glue' between a melodic (guitar/piano) and a rhythm (drums) instrument ...

BGB: Are there any influences of your father (Sir Pierre Courbois) on your playing techniques?

BC: Yeah, he thought me about every drum pattern possible and I still use it in my bass playing (o.a. my right and left hand 'slapping technics) ...plus the good thing about this is, that I think as a 'drummer' and it takes me like 3 minutes to 'lock in' and play together with a new drummer...'cause I know what a good drummer could and should play there !!!!  http://youtu.be/Hdp4pGeEPeE

BGB: How did you feel on your first performance? Was it your favorite one? If not, which one was it?

BC: I was 11 years old and I was very nervous but after a couple of minutes I was like 'OK this is really magical' and I'm gonna do it for the rest of my life!!!!
Since my 11th and now I did around the 4.000 shows and more than 60 records !!!!


BGB: Could you choose the most amazing moment of your life, musically speaking? 

BC: Haha....There are so many favorite moments, too many...but playing in Blind Guardian is really freaking COOL so that's why I'm having my most amazing time right here and right now !!!! 

BGB: A lot of female fans would like to know; how do you manage to have such an awesome hair? 

BC: Thanks...The last time I went to a real hair dresser, I was 15 years old (long time ago) and I always let it grow since then and I cut of the dead points myself!!
Good Hair Tip from the Bear: Eat a LOT of fresh garlic, good quality olive oil and hot peppers...that will make your hair grow and keep it shiny and healthy!!!!!


BGB: We know you’re an Iron Maiden fan. How many Iron Maiden concerts have you been to? Our last information was 37, is that right? Could you tell us more about this “obsession”? 

BC: 38 times hahaha....Maiden England tour in Amsterdam NL was the 38th time....The first time was in 1980 when they opened up for KISS in Europe and since then I am a huge fan...the only time I stopped seeing Maiden shows was in their Blaze Bailey period but for the rest I saw every tour at least 3 or 4 times....I was also a huge live show bootleg collector when I was younger (back in the Mighty 80sh) and every day I knew where they were playing...so that's why I know all the names of every Arena/Concert Hall in every city around the World !!!!

BGB: Could you talk about the projects you’re currently working on and what are your plans for the future? 

BC: I'm currently working on the new albums of Timo Somers' Tri-Head (https://www.facebook.com/TriHeadMusic), Quest (https://www.facebook.com/ROCK.BAND.QUEST), TANK (http://www.tankofficial.com/), and my new solo album.....Canadian LEAH  (http://leahmusic.net/) is gonna get released real soon !!!



SESSION 2 – BG Related Questions 



BGB: How was your first contact with Blind Guardian? Were you already familiar with their material before being invited to play with the band? How did the invitation to work with them happen? 

BC: My first contact with them was because they were looking for a new 'live' bassist in a short break off their World Tour 2010/11/12...so producer Charlie Bauerfeind said that he knew a bass player from the Netherlands who fit in perfectly (thanks god he thought about me after 20 years not seeing him)...Same week I got a meeting with Hansi and André in their studio in Germany...had 3 weeks to learn their songs and went on tour and finished the last months of their World Tour !!!!

No, I was not familiar with their material back then, of course I knew the name for years and years...but now I'm their number 1 fan!!!!!!


BGB: To the oldest Blind Guardian fans there’s always an image of their early days with Hansi playing the bass. Do you feel that there is any kind of comparison between you and him and if so, does that make it more difficult to be recognized in the band? 

BC: No not at all!!!!


BGB: Do you remember what was the first BG concert you played? How was the feeling of going up on stage with them? 

BC: Oh yeah, I will remember the first show for the rest of my life hahaha...I was so nervous..man 'o man what was I nervous..... I made a lot of stupid mistakes...but I sure kicked some ass!!!

BGB: Did you feel welcomed by the BG fanbase when you started playing with them? 

BC: Yep, everywhere I felt very welcomed...that was a really nice feeling...thank you all so much!!!!

BGB: BG songs are well known for having a fantastic literature touch. In order to work with them, did you have to study any kind of specific book?


BC: No, I’ve studied around 40 of their songs and I can tell you that was difficult enough haha

BGB: During your carrier you’ve worked with many amazing artists as Zakk Wylde, Joost van den Broek, Mike Terrana, Chris Caffery and the Brazilian guitar hero Andreas Kisser. With such vast experience what are the difficulties, news and apprehensions of playing with Blind Guardian? 

BC: I've always been a 'session' kinda guy and I've learned (and still learning) a lot from everybody I'm playing with all those long years but not only about playing music but also how to behave, survive, react, business wise etc, etc, 'cause there are so many little things why they ask you back for another tour or album..it's the whole package...music and your human personality, so working with Blind Guardian is nothing different then working with any other top high class professional artist or band....you just gotta play and perform you're ASS off every night, have a good time, be physical and mentally in top form, listen more and talk less, be positive and friendly, if something’s wrong fix it right away, have the best gear in the World and have a super fat sound !!!!


BGB: We know you also play with another band besides BG (Tri-Head). Could you tell us what are the main differences between playing with each of these bands? Are the audiences very different from each other? 


BC: My musical taste and influences are so BIG..so my bass style got so much elements from all kinds of music, that in the end I play everywhere almost the same shit haha

I like playing for a smaller 'listening' Jazzy kinda audience and I love BIG 'n LOUD Hard Rock/Metal shows....It's my Doctor Jekyll and Mr. Hyde syndrome haha.


BGB: What is your favorite BG album and why? 

BC: The new one, because I play the bass hahahaha!!!!

BGB: Could you tell us some more about BG’s upcoming album: Beyond the Red Mirror? How was it to record the album with them? 

BC: Yeah recording the bass for 'Beyond the Red Mirror' was a fantastic experience and It was a pleasure working (after so long) and creating new bass lines with top producer Charlie...of course it was bloody hard work but it's all about the end-result and that end-result is a KILLER !!!!


BGB: Brazilian fans are eager to see you playing live with BG again. Could we expect a concert in our country soon? 

BC: I can't say too much about this upcoming World-Tour yet......but you lovely people out there in Brazil are gonna be more than happy !!!!!


For more info about Barend 'the Bear' Courbois and make him feel even more welcome, please check out http://www.barendcourbois.nl/index.php/en/  and become a member of www.facebook.com/barendcourbois



BGB Team would like to Thank: Barend Courbois

Translated by: Marilia Olher

Questions by: Bruna Monarin, Marilia Olher, Marlon Prudente, Sara Leal, Virgílio Mirkoski.

Original Picture Credits:  Davina Scheper (https://www.flickr.com/photos/davinascheper/6058512177/)

Modified Picture Credits: Leandro Vale