10 de novembro de 2017

Nightfall in Middle-Earth: Traduções do álbum comentadas Pt. II

IMPORTANTE: Esta matéria faz parte de um projeto de traduções comentadas do álbum Nightfall in Middle-Earth, lançado em 1998. 
A 1ª parte desta matéria engloba das canções 1 até a 11 (do total de 22 músicas), sendo de Intro - War of Wrath até Noldor.


Esta matéria foi feita em colaboração ao canal Inglês informal, fundado pelo fã Murilo Fugikava.

**************************************************

Para alguns, o ápice do Blind Guardian; para outros, o álbum de maior sucesso do power metal. Mas, de forma unânime, concordamos que o álbum Nightfall in Middle-Earth é um dos melhores trabalhos da banda - definir o melhor se torna tarefa difícil - e, sem dúvida alguma, um dos maiores representantes do gênero power metal. Não é de se espantar que o álbum tenha vendido mais de 300.000 cópias em todo o mundo e solidificado a banda no cenário mundial, o que possibilitou as primeiras turnês em países como o México, Brasil e Argentina.
Agora, quase 20 anos após o lançamento dessa obra-prima, ainda admiramos esse grande álbum conceitual que é o NiME, sempre relendo as canções e descobrindo novos detalhes compostos pela banda em cada faixa do álbum. Nenhuma canção foi descuidada, todas são bem elaboradas, tanto em questão da escrita das letras, como a sonoridade empregada pelos músicos. Como não me canso de dizer, o NiME não foi feito para ser ouvido, desgustado e digerido; mas sim, para ser ouvido, apreciado, degustado, estudado, apreciado novamente, estudado mais uma vez e apreciado várias e várias vezes.

     É através desta forma de raciocinar que o fã Murilo Fugikava resolveu traduzir e comentar as letras das canções do Nightfall in Middle-Earth. O trabalho que ele faz no seu canal no YouTube, o Inglês Informal, não é de apenas repassar a letra e contar uma história, ele tem todo o empenho de contextualizar a canção, explicar os pormenores empregados na letra e associar com as canções anteriores. Uma ótima homenagem do Murilo ao trabalho do Blind Guardian e, também, a grande obra de literatura The Silmarillion (J.R.R.Tolkien) de onde advém toda a inspiração para o álbum.

O que mudou do Nightfall in Middle-Earth para cá?


     A banda não só amadureceu musicalmente, se elevando como uma das maiores bandas alemãs, como também reformulou seu trabalho e passou a adotar outra sonoridade - a banda já vinha passando por transição desde o álbum anterior (Imaginations From The Other Side) quando o Speed Metal ia sendo deixado aos poucos.
     A formação também sofreu mudanças, como a saída definitiva de Hansi Kürsch do baixo para ceder este trabalho a Oliver Holzwarth, que contribuiu com a banda como músico convidado até 2011.

Afinal, do que trata este álbum?


     O Nightfall in Middle-Earth é um álbum conceitual, ou seja, é um álbum de estúdio onde todas ideias musicais e líricas contribuem para tema geral único ou uma história unificada. Sendo o tema geral do álbum a história contada no clássico The Silmarillion  do célebre autor britânico J. R. R. Tolkien.
O livro The Silmarillion conta a origem da Terra Média e os eventos que antecendem os fatos narrados nos livros O Hobbit e O Senhor dos Anéis. O livro está dividido em 5 partes: Ainulindalë (A Música dos Ainur), Valaquenta (O Relato dos Valar), Quenta Silmarillion (A História das Silmarils), Akallabêth (A Queda de Númenor) e, por fim, Dos Anéis do Poder e da Terceira Era que encerra The Silmarillion, mas, abre espaço para novas histórias nos livros sucessores. 
"A narrativa parte desde a ordenação do mundo pelos Valar e os Maiar, a exceção de Melkor/Morgoth, que tenta destruir a criação dos outros Valar, até a origem de elfos, homens, anões e até mesmo de criaturas sombrias, como balrogs, dragões e orcs. Menciona também como reinos se ergueram e se tornaram grandes e fortes, e mesmo assim foram destroçados pelas forças do senhor do escuro. O livro conta acontecimentos desde a primeira era, até a terceira era, e contem um pequeno resumo sobre a criação dos anéis de poder e a ascensão e queda de Sauron como o segundo senhor do escuro." (Resumo por Jeferson Maia no Skoob)
     Apesar de contar os primeiros eventos do mundo fictício de Eä, este livro foi  editado e publicado postumamente pelo filho de Tolkien, Christopher Tolkien, em 1977. O Silmarillion juntamente com outras obras de Tolkien, formam uma extensa, embora incompleta, narrativa que descreve o universo da Eä em que se encontram as terras de Valinor, Beleriand, Númenor e da Terra Média.

     Lembrando que das obras de Tolkien, não só do livro The Silmarillion o Blind Guardian busca inspiração, mas, também de O Hobbit e O Senhor dos Anéis, como pode ser visto nas canções Majesty, By the Gates of Moria, The Bard's Song - The Hobbit e Gandalf's Rebirth.

Sobre o Nightfall in Middle-Earth


     Sexto álbum de estúdio do Blind Guardian, gravado em 1998 e baseado no livro O Silmarillion de J.R.R.Tolkien.

Formação:
Vocal: Hansi Kürsch
Guitarra: André Olbrich
Guitarra: Marcus Siepen
Bateria: Thomas Stauch

Convidados:
Baixo: Oliver Holzwarth
Teclado: Mathias Weisner
Piano: Michael Schuren
Flauta: Max Zelner
Narrações : Norman Eshley, Douglas Fielding
Coro: Billy King, Rolf Köhler, Olaf Senkbeil, Thomas Hackmann

Faixas:
"War of Wrath" - 1:50
"Into the Storm" - 4:24
"Lammoth" - 0:28
"Nightfall" - 5:34
"The Minstrel" - 0:32
"The Curse of Fëanor" - 5:41
"Captured" - 0:26
"Blood Tears" - 5:23
"Mirror Mirror" - 5:07
"Face the Truth" - 0:24
"Noldor (Dead Winter Reigns)" - 6:51
"Battle of Sudden Flame" - 0:44
"Time Stands Still (At the Iron Hill)" - 4:53
"The Dark Elf" - 0:23
"Thorn" - 6:18
"The Eldar" - 3:39
"Nom the Wise" - 0:33
"When Sorrow Sang" - 4:25
"Out on the Water" - 0:44
"The Steadfast" - 0:21
"A Dark Passage" - 6:01
"Final Chapter (Thus Ends...)" - 0:48


Traduzindo o Nightfall in Middle-Earth

     Como o post estava longo resolvi dividir este post em 2 partes. Sendo a 1ª já postada no blog (clique nesse link)  e a 2ª e última parte prosseguindo de Time Stands Still (At the Iron Hill) até a canção A Dark Passage.
Os vídeos são muito bem explicados e assim, dispensa-se que sejam comentados detalhadamente aqui na página.

     Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho do Murilo Fugikava e conhecer outras traduções comentadas de canções do Rock/Heavy Metal é só acompanhar a página do Inglês Informal pelo Facebook ou pelo Youtube. Acompanhem!


Nightfall in Middle-Earth: Traduções do álbum comentadas


 Descreve o final da Batalha das Chamas Repentinas, quando Fingolfin, vendo suas terras devastadas, passa a crer que todos os Noldor estão derrotados e assassinados, e fica tomado por cólera e loucura incontrolável, que o faz cavalgar sozinho até os portões de Angband (pg. 191) desafiar o próprio Morgoth para um combate homem a homem. E dessa forma encontra sua ruína.  (Trecho retirado do Whiplash.Net)

Esta dramática música continua falando de Maeglin, filho de Eöl com a Dama Branca dos Noldor. Fala de como almejou o trono de Rei de Gondolin quando soube que Turgon não tinha herdeiros (pg. 165) e conta também como seu coração se encheu de trevas quando não teve retribuído o amor que sentia por Idril Celebrindal (pg. 168). (Trecho retirado do Whiplash.Net)

Esta música retrata os momentos finais da vida de Finrod Felagund, filho de Finarfin e senhor de Nargothrond.

Nesta música é mencionado o final da história de Beren e Lúthien, quando Beren vai em busca do lobo Carcaroth (pg. 233), O Goela Vermelha, que cresceu alimentado com carne viva pelas mãos do próprio Morgoth, adquirindo assim o seu poder. Em sua demanda, Beren pretendia recuperar a Silmaril que o lobo engolira junto com sua mão direita. Embora Carcaroth tenha sido abatido por Huan, o cão caçador de lobos, Beren sofreu um grave ferimento que o matou (pg. 235). E seu espírito que deveria deixar o mundo para sempre, permaneceu nos palácios de Mandos por mais tempo a pedido de Lúthien (pg. 235).  (Trecho retirado do Whiplash.Net)

Esta música conta mais da perspectiva de Morgoth durante a quinta batalha, Nirnaeth Arnoediad. Fala também da aliança dos homens com os elfos durante a guerra, e novamente menciona o cativeiro de Húrin e o momento em que Morgoth o coloca em uma cadeira de pedra num local alto das Thangorondrin (pg. 249). E de pé ao seu lado, o amaldiçoa com as seguintes palavras: “Agora fica sentado aí; e contempla as terras em que o mal e o desespero se abaterão sobre aqueles que amas. Ousaste zombar de mim e questionar o poder de Melkor, Senhor dos destinos de Arda. Por isso, com meus olhos, verás; e com meus ouvidos, escutarás. E não sairás nunca deste lugar enquanto a maldição não atingir seu amargo final.” (Trecho retirado do Whiplash.Net)


Apesar de o álbum acabar após esta batalha, o livro vai muito além e conta diversas histórias que sucedem estes ocorridos, como a destruição de Doriath, de Gondolin, a queda de Morgoth, e também conta sobre a segunda e a terceira era da mitologia criada por Tolkien.

********************************************

Gostou deste post? Nos conte nos comentários suas opiniões sobre o álbum, o livro de Tolkien ou outro tema relacionado.

Comentários
0 Comentários

0 Bardos comentáram, comente!:

Postar um comentário

Faça um colaborador feliz, comente: